Bem-vindo ao Blog Celso Branicio -

Pesquisar dentro deste blog

terça-feira, 24 de maio de 2016

Levante o caído. Você ignora onde seus pés tropeçarão


Levante o caído. Você ignora onde seus pés tropeçarão

Ao caminharmos na rua de vez em quando encontramos alguém caído na calçada, eu particularmente procuro detectar se é algum alcoólatra ou se há algum outro problema mais grave, quando se trata meramente de um alcoólatra, eu como a maioria das pessoas o ignoro, pois, encontrar alguém assim infelizmente é algo comum nos dias de hoje, mas acredito que devemos ajudar a todos e também sabermos o motivo que os levou a isto, e ajudá-los a se levantar não só fisicamente, mas espiritualmente, pois, o que mais  leva o homem a cair em uma calçada não são os obstáculos da rua ou as drogas, mas os obstáculos da vida, e a caridade em qualquer destas circunstâncias é fundamental.

Devemos também aprender com estas provações e sofrimentos de nosso próximo, pois, se não nos cuidarmos ou se tivermos algum tipo de prova deste gênero, estaremos preparados para evitá-las ou enfrentá-las com resignação, deixando assim de cometer o mesmo tropeço, pois, o que leva o ser humano as drogas que são uma fuga da realidade, assim como ao crime, violência ou suicídio, na verdade são causados pela falta de preparação e conhecimento para enfrentar os problemas da vida com dignidade e resignação, podemos assim fazer caridade a um irmão e nos preparar para qualquer provação futura que possa nos atingir.


Celso Rodrigo Branicio




Obs.: Série Caderno de temas da Aliança Espírita Evangélica - Tema 7
Curso Aprendizes do Evangelho e Reforma Íntima que participei de 2002 a 2004 em Barretos-SP
Texto produzido em 2003
Fonte da imagem: Blog 2 BP


--------------------------


GOOGLE TRANSLATION


LIFT THE FALLEN. YOU IGNORE WHERE YOUR FEET WILL STUMBLE


When we walk in the street from time to time we find someone lying on the sidewalk, I particularly look for an alcoholic or if there is some other problem more serious, when it is merely an alcoholic, I like most people I do not know, Meeting someone so unfortunately is commonplace these days, but I believe that we should help everyone and also know the reason that led them to this, and help them to get up not only physically, but spiritually, because, what else leads The man to fall on a sidewalk are not the street obstacles or drugs, but the obstacles of life, and charity in any of these circumstances is fundamental.

We must also learn from these trials and sufferings of our neighbor, for if we do not take care of ourselves or if we have some kind of proof of this kind, we will be prepared to avoid them or to confront them with resignation, thus failing to make the same stumbling block. , Which leads the human being to drugs that are an escape from reality, as well as to crime, violence or suicide, are actually caused by the lack of preparation and knowledge to face the problems of life with dignity and resignation, we can thus do charity To a brother and prepare us for any future trial that may strike us.

Celso Rodrigo Branicio



Note: Series Series of themes of the Evangelical Spiritist Alliance - Item 7
Gospel Apprentices Course and Intimate Reformation that I participated from 2002 to 2004 in Barretos-SP
Text produced in 2003
Image Source: Blog 2 BP




Tags: Filosofia, Psicologia, Religião, Reforma Íntima, Aliança, Aliança Espírita Evangélica, Edgard Armond, Aprendizes do Evangelho, Escola de Aprendizes do Evangelho, Centro Espírita Aprendizes do Evangelho de Barretos, Temas, Caderno de Temas, Barretos, Celso Rodrigo Branicio, Branicio, Espiritismo, Kardecismo, Ecumênico, Pensamento, Pensamento Positivo, Neurolinguística, Literatura, Textos, Bem Estar, Auto Ajuda, Otimistas, Otimismo, Pessimistas, Pessimismo, Auto Estima, Caridade, Deus, Jesus, Cristo, Cristianismo, Cristão, Ajudar o Próximo, Poder da Mente, Paz, Paz Interior, Alegria, Felicidade, Orgulho, Vaidade, Egoísmo, Fé, Sofrimento, Arrependimento, Espírito, Alma, Perispírito, Mau, Bem, Maldade, Humor, Bom Humor, Mal Humor, Educação, Português, Virtudes, Defeitos, Verdade, Mentira, Redenção, Liberdade, Queda, Realização Espiritual, Evolução Espiritual, Corpo, Templo do Espírito, Corpo Templo do Espírito, Mundo Material, Humilhação, Penitência, Aprendiz, Fraternidade, Fraternidade dos Discípulos de Jesus, Ressentimento, Inveja, Ciúme, Avareza, Ódio, Remorso, Vingança, Agressividade, Personalismo, Maledicência, Intolerância, Impaciência, Negligência, Ociosidade, Ódio, Humildade, Modéstia, Sobriedade, Resignação, Sensatez, Piedade, Generosidade, Beneficência, Afabilidade, Doçura, Compreensão, Tolerância, Perdão, Brandura, Pacificação, Companheirismo, Renúncia, Indulgência, Misericórdia, Paciência, Mansuetude, Vigilância, Abnegação, Dedicação, Devotamento, Amor, Lei do Amor.


Conselho de Ética recebe representação do PDT contra Jucá

Conselho de Ética recebe representação do PDT contra Jucá: O jornalista Jamildo Melo e equipe trazem informações exclusivas sobre política e economia no Estado de Pernambuco, no Nordeste e no Brasil

Publicado em 24/05/2016 às 20:44 por em Notícias
 
 
O PDT quer investigação de quebra de decoro parlamentar por parte de Romero Jucá após divulgação de conversa sobre a Operação Lava Jato.

Na representação protocolada na tarde desta terça-feira (24), o partido pede que o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar investigue as denúncias contra o senador.

O senador Romero Jucá (PMDB-RR) reafirmou, nesta terça-feira (24), que as gravações divulgadas, de conversas suas com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, não contêm ilegalidade.

Ele disse que nesta quarta-feira vai apresentar sua defesa no Plenário. Sobre a alteração da meta fiscal, em votação no Congresso, o senador afirmou que a proposta faz um ajuste realista das contas públicas.





Paulo Câmara manda secretário Thiago Norões se reunir com ministro Fernando Coelho

Paulo Câmara manda secretário Thiago Norões se reunir com ministro Fernando Coelho: O jornalista Jamildo Melo e equipe trazem informações exclusivas sobre política e economia no Estado de Pernambuco, no Nordeste e no Brasil

Publicado em 24/05/2016 às 20:07 por em Notícias
 
 
A agenda oficial do Ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, abre espaço, às 17h30, para uma reunião com Thiago Norões, secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, nesta quarta-feira em Brasília. Antes, o deputado federal do PSB concede audiência, às 12h00, ao deputado estadual Álvaro Porto (PSD/PE).  O tema dos encontros não foi divulgado.

Curiosamente, Thiago Norões foi o nome que causou a primeira divergência entre Paulo Câmara e Fernando Bezerra Coelho, na formação do secretariado do socialista. FBC havia indicado um nome para a Secretaria de Desenvolvimento, com aval de Paulo Câmara, na véspera do anúncio. No dia do anúncio, Paulo Câmara ignorou a indicação de FBC e colocou Norões no lugar, atendendo a um pedido do prefeito Geraldo Julio. Nunca mais a relação foi a mesma, embora já representasse rusgas da campanha eleitoral.

Senadores do PT pedem para Rodrigo Janot investigar interferência de Jucá na Lava Jato

Senadores do PT pedem para Rodrigo Janot investigar interferência de Jucá na Lava Jato: O jornalista Jamildo Melo e equipe trazem informações exclusivas sobre política e economia no Estado de Pernambuco, no Nordeste e no Brasil

Publicado em 24/05/2016 às 19:49 por em Notícias
26899876241_b157b5697d_z Um dia depois de o ministro do Planejamento do governo Temer Romero Juca (PMDB/RR) ter caído, após a revelação de diálogos comprometedores sobre a Lava Jato, a bancada do PT no Senado apresentou, na tarde desta terça-feira (24), uma representação junto à Procuradoria-Geral da República (PGR) pedindo a instauração de um procedimento investigatório para apurar se o ex-ministro interferiu para obstruir a Operação Lava Jato e influiu para o afastamento da presidente Dilma Rousseff.
A peça também foi assinada por cinco outros senadores.
Os parlamentares petistas informaram ainda que irão pedir, nesta quarta-feira (25), a suspensão do processo de impeachment no Senado.
O senador Jucá foi flagrado sugerindo ao ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado que uma “mudança” no governo federal resultaria em um pacto para “estancar a sangria” representada pela Lava Jato, que investiga ambos.
A conversa foi gravada de forma oculta semanas antes da votação na Câmara dos Deputados que desencadeou o afastamento da presidente.
Humberto Costa (PT-PE), ex-líder do Governo Dilma no Senado, disse que os áudios divulgados pela imprensa deixam claro que o impeachment foi um evidente golpe, articulado somente para paralisar a Lava Jato.
“Um processo declaradamente sujo, nascido de um acordão para golpear Dilma e colocar Michel Temer com fins escusos, não pode prosperar”, afirmou
“Nós sempre alertamos para essa tentativa suja de ruptura da ordem democrática liderada por corrompidos no Congresso, com apoio vergonhoso da elite empresarial e de grandes meios de comunicação”, afirmou Humberto.
Os senadores pedem que Romero Jucá seja impedido de retornar ao cargo de ministro do Planejamento, do qual foi exonerado depois da divulgação dos áudios.
A representação solicita ainda que, mesmo retomando o cargo de senador, o ex-ministro interino seja impedido de frequentar lugares, ter contato com pessoas ou usar sua função de parlamentar para, de qualquer forma, tentar criar quaisquer obstáculos ao andamento da Operação Lava Jato.
A mesma postura não foi adotada pela bancada do PT com o ex-líder do governo Delcídio do Amaral, quando pilhado em uma tentativa de comprar o silêncio do delator Nestor Cerveró. O PT somente passou a estigmatizá-lo depois que a Época revelou detalhes de sua delação premiada. No Conselho de Ética do Senado, como vingança, toda a bancada do PT no Senado fechou questão por sua cassação, embora também use contra Eduardo Cunha, presidente afastado da Câmara dos Deputados, o argumento de que ele é movido por um desejo de vingança.
“Não bastasse a gravidade em si de se ter um senador da República a operar, francamente, no sentido de lograr a obstrução da Justiça, ou, quiçá, a praticar tráfico de influência em face do que, potencialmente, poderia ser dito às autoridades pelo senhor Sérgio Machado, o que ainda se observa, prima facie, é a inominável forja de ambiência institucional e mobilização da opinião pública propícias a desestabilização e derrubada de um governo legítimo”, escrevem, em documento.
Humberto avalia que houve evidente desvirtuamento de finalidade do instituto do crime de responsabilidade.
“Seria preciso submeter a Senhora Presidente da República à expiação, para que, amainada a ira cívica, se contivesse a sangradura do estamento político”, diz a representação.
O senador Romero Jucá (PMDB-RR) reafirmou, nesta terça-feira (24), que as gravações divulgadas, de conversas suas com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, não contêm ilegalidade. Ele disse que nesta quarta-feira vai apresentar sua defesa no Plenário. Sobre a alteração da meta fiscal, em votação no Congresso, o senador afirmou que a proposta faz um ajuste realista das contas públicas.


Bancadas do PT, PDT, PPS, PCdoB e Rede do Senado vão à PGR contra Romero Jucá

Bancadas do PT, PDT, PPS, PCdoB e Rede do Senado vão à PGR contra Romero Jucá: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 19:46 por em Notícias
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
Estadão Conteúdo – PT, PDT, Rede, PCdoB e PPS entraram nesta terça-feira (24) com uma representação contra o senador Romero Jucá (PMDB-RR) na Procuradoria Geral da República (PGR) pedindo a instauração de procedimento investigatório para apurar a gravação onde o peemedebista conversa com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Em outra frente, os petistas pedirão nesta quarta (25) a paralisação dos trabalhos da comissão especial do impeachment no Senado até que o caso seja esclarecido.
OPINIÃO
» Romero Jucá ficou tanto tempo nos limites da lei que não percebe mais o que faz de errado
Para os 15 senadores que assinam o pedido, Jucá agiu para obstruir a Operação Lava Jato e buscou influenciar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. “Pedimos que a PGR dê celeridade a esse processo. A conversa deixa muito claro de que ele constrói todo um ambiente para viabilizar o impeachment da senhora presidente e, ao mesmo tempo, para impedir o andamento das investigações pela Lava Jato”, disse o senador José Pimentel (PT-CE). Diferentemente do PSOL da Câmara, os senadores não sugerem a prisão preventiva do peemedebista. “A prisão é um desdobramento por parte do procurador-geral”, justificou Pimentel.
LEIA TAMBÉM
» Gilmar Mendes diz que não viu tentativa de barrar Lava Jato em gravação de Jucá
» Conselho de Ética tem cinco dias para dizer se aceita processo contra Jucá
» ‘Bem, eu avisei’, diz Joaquim Barbosa após saída de Jucá
No pedido de investigação, os parlamentares pedem que Jucá seja impedido de voltar a ocupar o Ministério do Planejamento e que, ao voltar a circular no Senado, Jucá seja impedido de frequentar lugares, ter contado com pessoas ou usar da função parlamentar para criar obstáculos à Lava Jato. A representação é assinada por 10 senadores do PT, mais os senadores Cristovam Buarque (PPS-DF), Reguffe (sem partido-DF), Telmário Mota (PDT-RR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP). O pedido é uma ação paralela dos parlamentares à representação do PDT no Conselho de Ética no Senado, mas segundo Pimentel, os pedidos têm a mesma fundamentação.
» Após gravação de Jucá, PT quer suspender sessão da comissão do impeachment e obstruir votação da meta fiscal
“BANDIDOS” – Os senadores acreditam que o caso de Jucá é mais grave do que a gravação do ex-senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) porque vai além da tentativa de cerceamento da Justiça, atinge o afastamento da presidente Dilma Rousseff e fala em “acordo” com todos os setores. “Jucá era o maior articulador do impeachment no Senado. Era Eduardo Cunha na Câmara e ele no Senado”, disse o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que fará uma questão de ordem na reunião da comissão do impeachment pedindo a suspensão dos prazos.
Lindbergh lembrou as críticas feitas pelos jornais internacionais ao processo de impeachment e disse que o País se transformou em “republiqueta”. “Parece uma quadrilha parlamentar tentando afastar uma presidente honrada, honesta”, emendou.
» Romero Jucá afirma que ‘caiu a ficha do PSDB’ sobre operação Lava Jato
» Temer diz que Jucá continuará auxiliando governo fora do ministério
O senador ironizou as declarações do presidente em exercício, Michel Temer, sobre sua experiência em “tratar com bandidos” quando foi Secretário da Segurança Pública de São Paulo. “Nós estranhamos a declaração, foi quase que uma autoconfissão”, comentou.
O petista disse que o atual governo é fraco, vacilante e que se desgasta há 12 dias. “Na minha avaliação esse governo não se sustenta por mais três meses. A gente só está esperando os novos fatos”, afirmou.
» Veja os diálogos de Jucá sobre a Lava Jato e acordão nacional
» Em diálogos gravados, Jucá fala em pacto para deter avanço da Lava Jato
» Polícia Federal deflagra nova fase da Lava Jato em Pernambuco e mais dois Estados





Manifestantes fazem ‘beijaço’ contra Bolsonaro e Feliciano na Comissão de Cultura da Câmara

Manifestantes fazem ‘beijaço’ contra Bolsonaro e Feliciano na Comissão de Cultura da Câmara: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 19:31 por em Notícias
Foto: Lula Marques/Agência PT
Os deputados federais Marco Feliciano (PSC-SP) e Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foram vaiados e alvo de um “beijaço” em protesto na Comissão de Cultura da Câmara. O grupo estava reunido em audiência pública na tarde desta terça-feira (24) para debater o fim do Ministério da Cultura – extinto no primeiro dia do governo Michel Temer (PMDB) e recriado oficialmente nessa segunda (23), após protestos.
LEIA TAMBÉM
» “Ao dar posse a Calero estou homenageando a cultura nacional”, diz Temer após protestos
Nem Feliciano nem Bolsonaro fazem parte da comissão. A assinatura dos dois não está no relatório da audiência, convocada por requerimentos de seis deputados, entre eles Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Jean Wyllys (PSOL-RJ). O deputado do PSOL não participou da reunião.
Feliciano e Bolsonaro entraram na sala no momento da reunião, que aconteceu ao mesmo tempo em que uma sessão conjunta do Senado votava vetos presidenciais antes de apreciar a nova meta fiscal. Contra os parlamentares, integrantes de movimentos sociais que participavam da audiência fizeram uma mobilização com um beijaço.
» Contra fim do Ministério da Cultura, manifestantes ocupam prédio do Iphan no Recife
» Governadores do Nordeste assinam carta contra fim do Ministério da Cultura
“A extinção do ministério mostra a falta de compromisso com a cultura e, mais do que isso, a falta de compromisso com a democracia”, afirmou o presidente da comissão, Chico D’angelo (PT/RJ).
Jandira Feghali, ex-presidente da comissão e uma das deputados que fizeram o pedido para a audiência pública, ressaltou que o recuo do governo Temer em relação à extinção do ministério foi após os protestos e as ocupações de prédios do ministério e, além disso, considerou a reunião uma forma de planejar novas mobilizações. “O MinC não voltou por uma dávida”, disse. “O MinC não será uma milha de avanço nesse mar de retrocesso”, previu ainda, criticando a gestão da qual é oposta.
» Enquete: Você aprovou a extinção do Ministério da Cultura?
» Mendonça Filho culpa Dilma por dívida da Cultura e faz planos para 2017
Bolsonaro publicou um vídeo sobre o protesto no Facebook. “Se um dia depender de mim, esses nunca mais se locupletarão de recursos públicos (Lei Rouanet) para sobreviver”, afirmou no post. O parlamentar disse ainda que os manifestantes “fazem apologia à vadiagem”.
Pelo Twitter, Feliciano chamou os manifestantes de “baderneiros fascistas”. “Fui hostilizado, rechaçado, xingado, simplesmente porque propus a CPI do MinC. A mamata tá acabando. Arruaceiros não passarão”, disse na rede social. Mais cedo, o deputado afirmou criticou o cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho por ter protestado no Festival de Cannes contra o impeachment de Dilma Rousseff (PT).
» Feliciano diz que Kleber Mendonça Filho protestou em Cannes por ser funcionário do governo Dilma
» Aquarius: Equipe do filme protesta em Cannes contra afastamento da presidente Dilma Rousseff




Em resposta a Mendonça Filho, Dilson Peixoto diz que ministro “aprendeu no berço” a “calar vozes dissonantes”

Em resposta a Mendonça Filho, Dilson Peixoto diz que ministro “aprendeu no berço” a “calar vozes dissonantes”: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 17:46 por em Notícias
 
Foto: Divulgação O ex-vereador do Recife Dilson Peixoto respondeu, no fim da tarde desta terça-feira (24), a ameaça de processo do atual ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), contra ele, o Partido dos Trabalhadores, o professor universitário Michel Zaidan e o site Brasil 247.
“Não seria novidade, vindo de quem vem tentar calar vozes dissonantes, coisa que o referido senhor aprendeu no berço, ainda durante a ditadura militar imposta ao Brasil em abril de 1964”, afirmou, em nota enviada ao Blog de Jamildo. Peixoto fez uma referência ao pai de Mendonça Filho, José Mendonça, deputado federal pelos partidos Arena, PDS e PFL.
LEIA TAMBÉM
» Mendonça Filho vai processar PT por danos morais, calúnia e difamação
Dilson Peixoto ressaltou que ainda não sabe exatamente qual será a matéria do processo. “Talvez tenha a ver com um artigo do professor Zaidan que tive o orgulho de compartilhar em minha página do Facebook”, disse. Porém, afirmou que aguarda a intimação judicial e que vai responder ao processo “sem qualquer constrangimento”.
» Professor universitário responde a ameaça de processo feita pelo ministro da Educação Mendonça Filho
A decisão de Mendonça Filho de processar Dilson Peixoto por danos morais, calúnia e difamação foi após a nomeação de Maurício Romão para a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC.
Os alvos do pernambucano, segundo ele, divulgaram textos na internet afirmando que a indicação de Romão foi feita com o objetivo de privatizar o ensino superior, sob o influência de Janguiê Diniz, presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior e dono do grupo Ser Educacional, onde Romão trabalhava.
» Com mais uma polêmica, Mendonça Filho recua e anuncia abertura de vagas no Fies até junho
» Federais de Pernambuco já cobram mensalidades, mas têm dúvidas sobre projeto do MEC
» MEC deve apoiar cobrança de mensalidades se universidades públicas quiserem



Professor universitário responde a ameaça de processo feita pelo ministro da Educação Mendonça Filho

Professor universitário responde a ameaça de processo feita pelo ministro da Educação Mendonça Filho: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo.

Publicado em 24/05/2016 às 17:30 por em Notícias
 
 
O atual ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), anunciou nesta terça-feira (24) que vai processar por danos morais, calúnia e difamação o Partido dos Trabalhadores, o professor de ciência política da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Michel Zaidan, o ex-vereador do Recife Dilson Peixoto (PT) e o site BR247, controlado pelo PT.
A decisão foi após a nomeação de Maurício Romão para a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC, quando os alvos do pernambucano, segundo ele, divulgaram textos na internet afirmando que a indicação de Romão foi feita com o objetivo de privatizar o ensino superior, sob o influência de Janguiê Diniz, presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior e dono do grupo Ser Educacional, onde Romão trabalhava.
O professor da UFPE não gostou e fez algumas observações, por meio de nota enviada ao Blog de Jamildo. Veja abaixo.
“Acredito que o descontentamento do nobre parlamentar e presidente do DEM tem a ver com a matéria publicada em vários “blogs” sobre a sua indicação ao Ministério da Educação, intitulada “Ministro da Ave…cultura”. Imagino que o senhor Mendonça Filho possa não ter gostado do título, do tom e do conteúdo da citada matéria. Como professor universitário, tenho visto passar pelo Ministério da Educação políticos dos mais diversos matizes, como se o MEC fosse um meio de troca qualquer entre o Poder Executivo e os partidos e líderes que o apoiam. Diz a imprensa que os critérios utilizados pelo interino que ocupa a cadeira presidencial são diferentes, quando se trata de economia e a política. Os ministros da área econômica são técnicos de competência renomada e conhecida: enquanto os da área política – bem – não precisam ser tão competentes e renomados assim. Bastam ter apoiado o Presidente interino, para receberem a sua paga, a sua recompensa. Quando se trata de Educação e Cultura, a situação é um pouco pior. Não precisa ser educador, pedagogo, especialista em políticas públicas e educação, produtor cultural, artista, nem nada. Basta ter apoiado o Presidente interino. E pronto. Como se a Educação não valesse grande coisa ou fosse um negócio. Na cabeça desses desavisados, a Educação é gasto. E gasto ruim. Tem de ser cortado. Aliás, são essas as notícias que vêm da área econômica: limitar gast os com educação e saúde. E aumentar o lucro dos bancos e dos especuladores”.
“As informações veiculadas ma minha matéria são (sic) foram objetos da minha livre criação, no intuito de constranger ou ofender o deputado José Mendonça Filho. Foram colhidas na edição eletrônica do jornal 247, que publica as fotos respectivas das personagens citadas naquela matéria: o empresário Janguiê Diniz, o economista Maurício Romão e, claro, o Ministro interino da Educação. Se há alguma imprecisão, erro, equívoco etc. A responsabilidade civil ou penal deve ser atribuida a quem veiculou essas informações”.
“As outras informações – mais de cunho pessoal – essas possuem inúmeras testemunhas de quantos foram assistir o então deputado, levado pelo meu amigo Edson Moura, tio de “Mendoncinha”, para debater na auditório do Mestrado de Ciência Política. Em duas oportunidades, o saudoso Edson Moura carregou seu sobrinho para a UFPE: uma para discutir a reforma da previdência. Lembro-me que o deputado ficou nervoso e derrubou a xícara de café. Na segunda, também trazido pelo tio, foi quando o vice-presidente da República, Marco Maciel fêz a sua única visita ao Mestrado de Ciência Política, da UFPE. Na ocasião, Mendoncinha aproveitou para falar na sucessão estadual. Depois disso, malgrado todos os esfor&cce dil;os, e o tio já falecido, o parlamentar de Belo Jardim não quis voltar à UFPE. Nem mesmo quando foi sugerido o seu nome para debater a reforma política, indicado por Gustavo Krause, e substituido exatamente por Maurício Romão, evento ocorrido na auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas”.
“Do ponto de vista pessoal, não tenho nada contra ou a favor de Mendoncinha. Sempre o tratei com cordialidade e respeito, quando nos encontramos eventualmente. Mas, na minha modesta opinião, ele não tem perfil para ser Ministro da Educação. Acredito até que ele nem tenha consigo um programa ou um idéia sobre a educação em nosso país. Desconheço o grau de escolaridade do deputado. Não sei o que ele estudou ou escreveu. Mas pelo esboço de ideologia – liberal – do seu partido e pelo perfil de seus assessores, faço idéia do que pode vir a ser. E temo muito pelo futuro da Educação Pública e de Qualidade nesse país, nas mãos de gestores como esses”.
“As informações familiares de José Mendonça Filho remontam a década de 70 – plena ditadura militar – quando, acompanhando a minha companheira, tive a oportunidade de visitar a fazenda do Coronel Chico Heráclito, em Limoeiro. Na época, Taciana e o seu falecido irmão eram ainda crianças, mas lá estavam o sociólogo Marcos Vinicius Vilaça e sua mulher, filha do coronel. Vilaça – cuja principal obra é a biografia do sogro (“Coronel, coronéis”) – tornou-se senador biônico pela ARENA, através do pacote de abril. E daí, ingressou na Academia Brasileira de Letras, no âmbito da política literária daquela instituição, que também recebeu Ivo Pitangui e Roberto M arinho”.
“Depois da divulgação do “grampo” da conversa telefônica do senador Romero Jucá, não há mais dúvida de que foi feito uma imenso “acordão” para afastar a Presidente Dilma do Poder, e blindar todos aqueles que são investigados pela operação Lava-a-jato ou cujos nomes estão na lista do departamento de propina da ODEBRECHT. ou seja, o golpe ou a conspiração nada teve a ver com o chamado “crime de responsabilidade”. Segundo Jucá, era preciso “estancar a sangria” e o jeito era remoer a Dilma e colocar o interino em seu lugar. Quem participou da manobra, ganhou o seu quinhão”.
“Foi pois com surpresa e curiosidade que tomei conhecimento de meu nome teria sido mencionado no “Blog de Jamildo”, como um dos que pode ser processado por…Mendoncinha e seu amigos”.
Assinado: Michel Zaidan Filho

LEIA TAMBÉM
» Mauricio Romão será o secretario de Regulação e Supervisão da Educação Superior do ministério da Educação e Cultura
“Não me intimido com essa estratégia nem vou ser tutelado por táticas nazistas usadas pelo PT para destruir adversários. Falou mentira contra minha pessoa vai responder nas instâncias legais”, afirmou Mendonça Filho.
» Ministro Mendonça Filho diz que não vai alterar nenhuma política de cotas
» Com mais uma polêmica, Mendonça Filho recua e anuncia abertura de vagas no Fies até junho
» Governo suspende novas vagas do Pronatec e do Fies

Lula pede que STF reconheça que ele foi ministro de Dilma

Lula pede que STF reconheça que ele foi ministro de Dilma: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 17:27 por em Notícias
 
Brasília- DF 17-03-2016   Presidenta Dilma durante posse do ministro Lula e outros ministros.Foto Lula Marques/Agência PT
Estadão Conteúdo – A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolou um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para que as ações contra a sua nomeação para a Casa Civil não sejam extintas e sejam levadas a julgamento no plenário da Corte. Na peça, os advogados pedem que o Tribunal reconheça que Lula teve o status de ministro de Estado no período entre 16 de março e 12 de maio e também as “consequências jurídicas decorrentes dessa situação”.
A defesa do ex-presidente argumenta que ele “preenchia, como ainda preenche, todos os requisitos previstos no artigo 87 da Constituição Federal para o exercício do cargo de Ministro de Estado, além de estar em pleno exercício de seus direitos políticos”.
LEIA TAMBÉM
» Janot acusa Lula de ter ‘papel central’ na tentativa de obstruir Lava Jato
» Indefinição sobre Lula fez Polícia Federal atrasar Operação Janus
Relator dos mandados de segurança impetrados pelo PSDB e pelo PPS, o ministro Gilmar Mendes determinou o arquivamento das ações após a exoneração de Lula ser publicada no Diário Oficial da União no último dia 12, quando a presidente Dilma Rousseff deixou o cargo.
Caso o Supremo reconheça que Lula já era ministro desde o dia 16 de março, isso pode abrir uma brecha para que a defesa do ex-presidente questione atos do juiz Sérgio Moro, inclusive a divulgação das conversas entre ele e Dilma. Há uma discussão no meio jurídico sobre a validade dos áudios.
» FHC critica possível candidatura de Lula em 2018: “Ficar além do limite no poder não é bom”
» Lula diz que viu projeto de inclusão social ruir com afastamento de Dilma
As gravações, em que Dilma indica que está enviando o termo de posse a Lula para que ele use em “caso de necessidade”, foram citadas por Gilmar Mendes em sua decisão para suspender a nomeação do ex-presidente do cargo. Para o ministro, havia indícios de que a petista apontou o ex-presidente para o governo com o objetivo de que as investigações contra ele fossem examinadas pelo Supremo e não mais pelo juiz da 13ª Vara de Curitiba.
Em manifestação sobre o assunto esta semana, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também afirmou entender que houve “prejuízo” das ações que analisavam o caso de Lula após a sua exoneração. A indicação está sob a relatoria do ministro Teori Zavascki.
» Em nova missão, PF mira em pessoas ‘próximas’ de Lula e contratos da Odebrecht
» Advogados de Lula rebatem ligação do nome do ex-presidente a suspeitas contra sobrinho

Romero Jucá ficou tanto tempo nos limites da lei que não percebe mais o que faz de errado

Romero Jucá ficou tanto tempo nos limites da lei que não percebe mais o que faz de errado: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo.

Publicado em 24/05/2016 às 17:20 por em Notícias
 
 
Por Fernando Castilho do JC Negócios, em texto enviado ao Blog de Jamildo

O senador Romero Jucá (PMDB-RR) não percebeu que quanto mais fala, mais atrapalha Michel Temer. Nesta terça-feira ele disse que o presidente interino pediu para ele ficar no governo e que ele foi quem pediu para sair. Em sendo verdade, Jucá deveria saber que o presidente disse isso exatamente para que ele saísse de vez. Mas é difícil saber se Michel Temer fez mesmo esse apelo.
Mas esse não é o problema. O grave é ele dizer isso numa sessão do Congresso Nacional em resposta às críticas da oposição. Atrapalha mais o presidente interino do que ajuda na sua defesa. Na verdade, constrange todo o governo que gostaria que Romero Jucá ou sumisse de vez ou ficasse na dele, humildemente dizendo que vai provar sua inocência e que Sérgio Machado armou uma conversa o que lhe abriu uma avenida de suspeições.
O problema é que Juca está tão acostumado a viver no limite da lei que não percebe isso. Tentar mostrar prestigio e alguma capacidade de articulação agora é intoxicar ainda mais o governo Temer. Atrapalha pelo simples fato de querer se defender dizendo que ainda é parte importante no governo.
Mas vai dizer isso a ele? Na cabeça de Jucá ele deveria ter ficado no governo. Daí a comunicação ao Temer de que iria se defender numa entrevista coletiva. Tivesse consciência do problema que seu telefone criou ele teria ligado as 8 da manhã para o presidente interino e comunicado: estou saindo. Vou me defender no Congresso que e minha casa. Muito obrigado pela confiança.
Mas Jucá não tem essa percepção ele realmente se acha peça ainda importante. Ele acha que está em linha com o Henrique Meirelles e que foi ele quem articulou esse pacote de medidas apresentado nesta terça-feira. Não caiu a ficha de que pode ter que responder a uma ação no Conselho de Ética.
É preciso ter presente que Jucá se julga uma espécie de Eduardo Cunha do Senado pela rede de influência que conquistou ao longo dos anos. Mas por uma dessas ironias como Cunha ele também caiu em desgraça.
No final o que a gente está vendo é que Jucá tornou-se tóxico para o governo Temer. É curioso como essa palavra adquiriu esse sentido neste momento, mas é isso mesmo que Jucá representa.
Mas ele não percebe que contamina tudo que toca. Ou melhor leva suspeição a todo governo que tenta ajudar ou se aproveitar.

Aliados de Dilma tentam melar votação de nova meta fiscal. Renan recusa manobras

Aliados de Dilma tentam melar votação de nova meta fiscal. Renan recusa manobras: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 17:12 por em Notícias
 
imagem_materia

Diversos deputados e senadores da oposição tentaram adiar a votação da nova meta fiscal do governo Michel Temer. Foram apresentadas diversas questões de ordem nas quais os parlamentares pediam principalmente que fosse aberto novo prazo para apresentação de emendas à proposta de mudança na Lei de Diretrizes Orçamentárias entregue pelo governo interino. O presidente do Congresso, Renan Calheiros, não acatou qualquer uma das questões e reafirmou que o PLN 1/2016 seria votado após a apreciação dos vetos presidenciais.

— A presidente Dilma Rousseff mandou duas mensagens como essa, e o prazo de emendas não foi reaberto; estamos agindo da mesmíssima maneira. Não se trata aqui nem de presidente Dilma nem de presidente Michel, trata-se do interesse do Brasil e o Congresso Nacional tem responsabilidade com isso — disse Renan.

As questões de ordem foram apresentadas e apoiadas pelos deputados Afonso Florence (PT-BA), Maria do Rosário (PT-RS), Paulo Pimenta (PT-RS), Sílvio Costa (PTdoB-PE) e outros, além da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Os argumentos apresentados foram de que a modificação na meta fiscal proposta pelo novo governo chegou ao Congresso apenas na segunda-feira (23), sequer foi discutida ou teve parecer votado na Comissão Mista de Orçamento (CMO) e que seria necessária a abertura de novo prazo para apresentação de emendas.

Em suas respostas que negaram as questões de ordem, Renan explicou que estava seguindo de maneira fiel determinações da Constituição e dos Regimentos Internos da Câmara e do Senado, além do regimento comum. Ele explicou que há previsão para que matérias que não recebam parecer na CMO em prazo determinado, possam ser colocadas em votação pelo presidente do Congresso, que designa relator para proferir parecer oral em plenário.

Alguns senadores que apoiam o atual governo reclamaram de que os agora oposicionistas estavam apenas praticando manobras regimentais com o intuito de atrasar ou até impedir a votação da nova meta fiscal com deficit de mais de R$ 170 bilhões. O deputado Pauderley Avelino (DEM-SE) chegou a classificar de obstrução chinfrim a situação e o senador Waldemir Moka (PMDB-MS) reclamou que Renan teve de responder aos mesmos questionamentos quatro vezes seguidas.

Com Agência Senado





Votação de mudança da meta pode ficar para madrugada; vetos são mantidos

Votação de mudança da meta pode ficar para madrugada; vetos são mantidos: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 17:09 por em Notícias
 
Foto: Marcelo Camargo/ABr Estadão Conteúdo – O líder do PSD na Câmara, deputado Rogério Rosso (DF), disse nesta terça-feira (24) que a previsão é de que a votação do projeto que altera a meta fiscal de 2016 aconteça efetivamente entre o final da noite e o começo da madrugada. Nesta tarde, o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), encerrou a votação dos 24 vetos presidenciais que trancam a pauta e todos foram mantidos.
LEIA TAMBÉM
» Ex-ministro de Dilma, Armando Monteiro vai votar pela revisão da meta fiscal
» Após gravação de Jucá, PT quer suspender sessão da comissão do impeachment e obstruir votação da meta fiscal
Após analisarem os vetos, os parlamentares apreciam neste momento 13 destaques aos vetos, que precisam ser votados nominalmente, um a um. Só depois começará a discussão da alteração da meta de 2016, cujo relatório – que não foi votado na Comissão Mista do Orçamento – será apresentado no plenário. “Imagine apresentar relatório no plenário e abrir prazo para emenda? Isso vai longe”, previu Rosso.
Nos cálculos de Rosso, não há chances da meta ser votada antes das 22h. “Quem tinha passagem marcada para hoje já desistiu”, comentou.
» Após reunião com Temer, Romero Jucá pede licença do Ministério do Planejamento
» Renan Calheiros antecipa votação da meta fiscal
» Senado define na terça-feira novo cronograma do processo de impeachment de Dilma
Os partidos que apoiam a presidente afastada Dilma Rousseff têm feito obstrução no plenário, questionando a ausência de votação da nova meta na CMO. O objetivo é evitar essa votação hoje. “Não se trata aqui nem de Dilma e nem de Michel, trata-se do interesse do Brasil”, apelou Renan durante a sessão.


Jucá chama Lupi e Telmário de bandidos. PDT entra com representação contra ex-ministro

Jucá chama Lupi e Telmário de bandidos. PDT entra com representação contra ex-ministro: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 16:55 por em Notícias
 
 
O senador Telmário Mota (PDT-RR) substituiu na tarde desta terça-feira (24) o pedido de abertura de processo contra o senador Romero Jucá (PMDB-RR) por quebra de decoro parlamentar que havia protocolado no Conselho de Ética do Senado pela manhã. O primeiro pedido foi feito na forma de denúncia, assinada pelo senador e pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi.
O documento entregue há pouco foi feito na forma de representação, assinada pelo PDT — enquanto partido político, não apenas por dois de seus integrantes —, e, por consequência, com mais força política.
A representação, que vai tramitar no Conselho como Petição ao Conselho de Ética 6/2016, tem como fundamento as notícias publicadas na imprensa em que Romero Jucá apareceria em uma suposta tentativa de obstrução à Operação Lava Jato.
O trâmite do novo documento é igual ao anterior: se julgada procedente a representação, é aberto um processo contra o senador no conselho. O presidente do colegiado, senador João Alberto (PMDB-MA), tem cinco dias para decidir se dará curso ou não ao pedido.
Jucá disse nesta tarde que os dois, Lupi e Telmário, eram bandidos.
Por falta de quórum, caiu a reunião da CMO destinada a examinar o projeto do governo que altera a meta fiscal deste ano, prevendo déficit de R$ 170,5 bilhões. Senadores do PT pediram a verificação, derrubando a reunião, no final da manhã.
Encerrada a reunião da Comissão Mista do Orçamento, imediatamente foi aberta a sessão do Congresso, que faz diretamente o exame do projeto de lei que amplia o déficit da meta fiscal para R$ 170,5 bilhões.
O senador Romero Jucá (PMDB-RR) reassumiu o mandato nesta terça-feira (24) e participou dos debates na sessão do Congresso Nacional que discute a nova meta fiscal proposta pelo presidente interino Michel Temer (PLN 1/2016). Ele se afastou do Ministério do Planejamento diante da divulgação, pelo jornal Folha de S.Paulo, de uma conversa sua com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.
Jucá disse que a nova previsão de déficit nas contas públicas, de R$ 170,5 bilhões, é uma mudança de paradigma em relação a um “governo atrasado”. Segundo o senador, o cálculo tira da conta anterior recursos oriundos de uma eventual criação da CPMF, R$ 35 bilhões em repatriação de recursos no exterior que não entraram, e outras receitas em que houve queda.
— Essa meta fiscal é um número realista, responsável, que tira da conta um superávit fantasma que o governo anterior propôs.
O senador acrescentou que a proposta do governo Temer permite retomar investimentos importantes no Brasil, como a transposição do Rio São Francisco, as adutoras de água no Nordeste, obras em estradas, além de possibilitar mais recursos para a saúde. Também contempla a renegociação das dívidas dos estados e dos municípios, explicou Jucá.
Com informações da Agência Senado

Gilmar Mendes diz que não viu tentativa de barrar Lava Jato em gravação de Jucá

Gilmar Mendes diz que não viu tentativa de barrar Lava Jato em gravação de Jucá: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 16:55 por em Notícias
Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil
Estadão Conteúdo – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, disse nesta terça-feira (24) que não entendeu a conversa entre o ex-ministro Romero Jucá e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado como uma tentativa de interferir na Operação Lava Jato. “Não vi isso. É uma conversa entre pessoas que têm alguma convivência e estão fazendo análise do cenário numa posição não muito confortável”, afirmou.
O peemedebista deixou o cargo no governo do presidente em exercício Michel Temer nesta segunda-feira, 23, após virem à tona áudios em que ele sugere um pacto para deter as investigações. Tanto Jucá quanto Machado são alvos da Lava Jato, que apura o esquema de corrupção que atuava na Petrobras.
LEIA TAMBÉM
» Conselho de Ética tem cinco dias para dizer se aceita processo contra Jucá
» ‘Bem, eu avisei’, diz Joaquim Barbosa após saída de Jucá
Gilmar, no entanto, admitiu que causou “incômodo” o fato de Jucá ter dito que havia conversado com ministros do Supremo sobre o caso, mas afirmou não ter sido procurado pelo senador. “Sou uma pessoa que tem bom relacionamento com o Jucá desde o governo Fernando Henrique e ele nunca me procurou sobre isso. Parece que isso é o tom de conversa geral”, disse.
» Após gravação de Jucá, PT quer suspender sessão da comissão do impeachment e obstruir votação da meta fiscal
O ministro defendeu ainda que as reiteradas menções que políticos fazem em relação a ter acesso a integrantes da Corte virou um “mantra”, mas não condizem com a realidade. “Sempre vem essa história: já falei com os juízes ou coisa do tipo. Isso virou um mantra, um enredo que se repete”, disse.
Para ele, não há por que a sociedade suspeitar do STF no que diz respeito à condução dos processos ligados à Lava Jato. “O Tribunal tem agido com muita tranquilidade, com muita seriedade, muita imparcialidade, a mim me parece que não há nada que possa mudar o curso (das investigações).”
» Romero Jucá afirma que ‘caiu a ficha do PSDB’ sobre operação Lava Jato
» Temer diz que Jucá continuará auxiliando governo fora do ministério
TEMER – Gilmar afirmou ainda não acreditar que a saída de Jucá do ministério do Planejamento vá prejudica o governo Temer, que iniciou há pouco mais de dez dias. “São problemas da realidade política, com os quais se tem que lidar. Da noite para o dia, às vezes por uma fala, por uma revelação, se encerra um mandato até exitoso”, disse.
O ministro também defendeu que o caso de Jucá era diferente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi impedido de assumir a Casa Civil no governo da presidente Dilma Rousseff. Para Gilmar, que foi o responsável pela decisão no STF sobre o caso, a nomeação de Lula ficou caracterizada como obstrução de Justiça porque o ex-presidente teria sido nomeado para ganhar foro privilegiado e não ser mais investigado pelo juiz Sérgio Moro, da primeira instância em Curitiba.
» Veja os diálogos de Jucá sobre a Lava Jato e acordão nacional
» Em diálogos gravados, Jucá fala em pacto para deter avanço da Lava Jato
» Polícia Federal deflagra nova fase da Lava Jato em Pernambuco e mais dois Estados

Sérgio Moro e Cármem Lúcia participam de Conferência Suíço-Brasileira sobre corrupção e o papel do Estado

Sérgio Moro e Cármem Lúcia participam de Conferência Suíço-Brasileira sobre corrupção e o papel do Estado: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 16:45 por em Notícias
O PT informou que não vai comentar a decisão do juiz Sérgio Moro
Nos dias 27 e 28 de maio de 2016, o Centro Cultural Ariano Suassuna sediará a Conferência Internacional “Investimento, Corrupção e o Papel do Estado – Um Diálogo Suíço-Brasileiro”.
Os cinco painéis, formados por experts suíços e brasileiros, debaterão o papel do Estado na regulação do mercado financeiro e no combate à lavagem de dinheiro e corrupção.
Segundo os organizadores, através da comparação entre as experiências da Suíça e do Brasil, objetiva-se conscientizar e discutir soluções para a atual crise política e econômica.
O evento, co-financiado por um programa de cooperação acadêmica do governo suíço, é uma realização conjunta da ILA Brasil e ILA Suíça (International Law Association), Universidade de Lausanne (Suíça), Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, Universidade Federal da Paraíba e da Escola da Magistratura Federal do TRF da 5a. Região (ESMAFE5).

“Ao dar posse a Calero estou homenageando a cultura nacional”, diz Temer

“Ao dar posse a Calero estou homenageando a cultura nacional”, diz Temer: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 16:43 por em Notícias
Foto: Beto Barata/PR
Estadão Conteúdo – O presidente em exercício, Michel Temer, afirmou na tarde desta terça-feira (24) que fatos equivocados em um dado momento podem gerar fatos positivos em outras ocasiões e exemplificou a “posse individualizada” e “especial” do ministro da Cultura, Marcelo Calero. “Ao dar posse a Calero estou homenageando a cultura nacional”, disse. Segundo Temer, os demais ministros tomaram posse de maneira informal e, por isso, a posse de Calero estava sendo registrada de forma individualizada e especial.
O diplomata e ex-secretário de Cultura do Rio havia sido anunciado secretário nacional da Cultura, mas, depois de pressões de artistas e servidores, Temer decidiu voltar atrás e recriar a pasta da Cultura, assim Calero foi alçado ao posto de ministro.
LEIA TAMBÉM
» Temer edita MP que recria Ministério da Cultura
Calero disse que os artistas são trabalhadores que tecem os fios que desenvolvem a economia do País e que fazer gestão pública da cultura é ter presente, “antes de mais nada, a pluralidade brasileira”.
O ministro afirmou ainda que zelará pelo fortalecimento institucional e, a despeito da situação financeira com dificuldade, agradeceu a Temer pela recriação da pasta. “Agradeço a Temer por devolver à cultura o espaço elevado à altura de suas atribuições”, afirmou.
» Contra fim do Ministério da Cultura, manifestantes ocupam prédio do Iphan no Recife
» Governadores do Nordeste assinam carta contra fim do Ministério da Cultura
Calero fez uma série de citações em seu discurso, lembrou sua trajetória na secretaria e agradeceu a presença do ministro do Superior Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, que foi seu ex-professor.
Logo no início de seu discurso, Temer pediu aos presentes que aplaudissem o ex-presidente José Sarney, “já que foi ele o criador” do Ministério da Cultura. O presidente em exercício citou um trecho do discurso de Calero e disse que concordava com o fato de que “o partido da cultura é a cultura”. “Ele disse muito bem: a cultura não é de ninguém, a cultura não é de partido, a cultura é nacional”, afirmou.
» Enquete: Você aprovou a extinção do Ministério da Cultura?
» Mendonça Filho culpa Dilma por dívida da Cultura e faz planos para 2017
Temer destacou o perfil de diplomata de Calero e disse que além de boas referências trazidas pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, a quem Calero seria subordinado, a passagem do agora ministro pela secretaria de Cultura do Rio foi boa. “Em sua gestão ele conseguiu reunificar todo o setor cultural e deu-lhe grande desempenho”, disse. “O Marcelo (Calero) é diplomata e como todo diplomata é capaz de fazer uma coisa essencial para o Brasil hoje: que é o diálogo.”
» Feliciano diz que Kleber Mendonça Filho protestou em Cannes por ser funcionário do governo Dilma
» Aquarius: Equipe do filme protesta em Cannes contra afastamento da presidente Dilma Rousseff
O presidente em exercício refez a promessa de quitar os débitos com o setor até o final em parcelas. “Há um déficit na Cultura de R$ 230 milhões e vamos quitar esse déficit ainda este ano”, disse.

Sem crise, Paulo Câmara aumenta participação dos auditores da SEFAZ nos ganhos tributários do Estado

Sem crise, Paulo Câmara aumenta participação dos auditores da SEFAZ nos ganhos tributários do Estado: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 16:30 por em Notícias
blogs
Sem alarde, o governador Paulo Câmara (PSB) sancionou uma lei aumentando a participação dos auditores da Secretaria Estadual de Fazenda (SEFAZ) na arrecadação tributária do Estado.
Ao assinar em 23 de maio a lei complementar 325, o governador Paulo Câmara aumentou de 30% (trinta por cento) para 40% (quarenta por cento) na “participação no ingresso de receita proveniente de multas relativas a impostos estaduais”.
Ainda, o governador Paulo Câmara preferiu dar este aumento retroativo a janeiro de 2016.
A lei ainda contempla outras modificações vantajosas financeiramente na carreira de auditores da SEFAZ.
blogs1
A medida vem em um ano que não foi concedido aumento aos professores e policiais. Estas categorias reclamam que os auditores, além de serem das carreiras mais bem remuneradas do Estado, ainda recebem várias verbas indenizatórias.

Feliciano diz que Kleber Mendonça Filho protestou em Cannes por ser funcionário do governo Dilma

Feliciano diz que Kleber Mendonça Filho protestou em Cannes por ser funcionário do governo Dilma: Blog de Jamildo | O mundo da Política de Pernambuco, Brasil e do mundo

Publicado em 24/05/2016 às 16:12 por em Notícias
 
 
Foto: Wilson Dias/ABr
Após provocar críticas de movimentos sociais ao mandar artistas “procurarem o que fazer”, o deputado federal da bancada evangélica Marco Feliciano (PSC-SP) usou a tribuna do Congresso Nacional, nesta terça-feira (24), para criticar o cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho, que protestou no Festival de Cannes contra o impeachment de Dilma Rousseff (PT).
“Para minha surpresa, o líder daquela manifestação é funcionário do governo e por isso levantou a manifestação”, afirmou Feliciano na sessão conjunta do Congresso, esta tarde.
LEIA TAMBÉM
» Em vídeo, Marco Feliciano manda artistas “procurarem o que fazer”
Kleber Mendonça Filho é coordenador do Cinema da Fundação desde 1998, ainda no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB). O cinema é vinculado à Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), ligada ao Ministério da Educação (MEC). Em março, ele recebeu R$ 3.870,23 pela função, de 40 horas semanais.
O cineasta é diretor do filme Aquarius, que estreou no festival francês. “Um golpe ocorreu no Brasil”, “Resistiremos” e “Brasil não é mais uma democracia” eram alguns dos cartazes que Kleber Mendonça Filho e sua equipe seguravam no tapete vermelho minutos antes da projeção, no último dia 17.
» Kleber Mendonça Filho receberá honraria da Câmara do Recife
» Aquarius: Equipe do filme protesta em Cannes contra afastamento da presidente Dilma Rousseff
Um dia depois, Feliciano publicou um vídeo em seu perfil do Facebook em que critica duramente artistas que manifestaram sua insatisfação com a decisão do governo de Michel Temer de extinguir o Ministério da Cultura, que juntou-se com o da Educação. “Vá arrumar o que fazer. Parem de sugar nas tetas do governo e vamos fazer nosso país caminhar”, disse o deputado.
» Pastor Feliciano será líder do PSC na Câmara
Na sessão desta terça (24), Feliciano afirmou que está colhendo assinaturas para tentar abrir uma Comissão Parlamentar de Inquéritos (CPI) para investigar convênios do Ministério da Cultura. Antes dele, o senador Magno Malta (PR-ES) havia divulgada a campanha para instaurar apuração sobre a Lei Rouanet.
“Como essas pessoas conseguem levantar tanto dinheiro da Lei Rouanet?”, questionou Feliciano em referência aos cantores Cláudia Leitte e Luan Santana. O deputado também afirmou que vai tentar investigar a União Brasileira dos Estudantes (UNE), entidade que ele intitulou “puxadinho do governo”.

AJUDE CONVERSANDO. UMA BOA PALAVRA AUXILIA SEMPRE

AJUDE CONVERSANDO, UMA BOA PALAVRA AUXILIA SEMPRE
 
Acredito que uma boa palavra seja, em determinadas circunstâncias, até mais importante que a doação de um bem material.

Existe um ditado que diz: “se conselho fosse bom, seria vendido”. Este ditado, nos dias de hoje, percebemos ser falso, visto o fato de existir muitos profissionais e até empresas que vivem e até se enriquecem com consultoria, que nada mais é do que dar conselhos a profissionais ou empresas em determinadas áreas do conhecimento humano. Outro exemplo que podemos citar é o trabalho dos psicólogos. 

Sendo assim, chegamos à conclusão de que um conselho, uma palavra amiga, tem valor não só simbólico, mas também até mesmo financeiro e comercial se analisarmos por outra ótica. Este ato tem valor semelhante a um bem material, portanto, para o nosso próximo todo tipo de caridade é importante, não só a doação de bens materiais, mas também uma boa palavra amiga. Afinal se muitos de nós deixarmos algumas vezes de fazer caridade, por falta de bens materiais, um bom conselho todos nós podemos dar, pois, só gastaríamos nosso tempo e por mais ignorante que um ser humano possa ser, no mínimo ele tem conhecimentos gerais adquiridos em sua experiência de vida. 

Este tipo de conselho por si só, pode ser suficiente para salvar uma vida ou mesmo mudá-la para melhor.



Celso Rodrigo Branicio





Obs.: Série Caderno de temas da Aliança Espírita Evangélica - Tema 6
Curso Aprendizes do Evangelho e Reforma Íntima que participei de 2002 a 2004 em Barretos-SP
Texto produzido em 2003
Fonte da imagem: Mediunidade na pratica
Também Publicado em 14/06/2011 no Blog: Caos Filosófico



------------------------


GOOGLE TRANSLATION


HELP CONVERSATION. A GOOD WORD AID ALWAYS

I believe that a good word is, in certain circumstances, even more important than the donation of a material good.

There is a saying: "If counsel were good, it would be sold." This saying, nowadays, we perceive to be false, since there are many professionals and even companies that live and even get rich with consulting, which is nothing more than giving advice to professionals or companies in certain areas of human knowledge. Another example that we can cite is the work of psychologists.

Thus, we come to the conclusion that a council, a friendly word, has value not only symbolic, but also financial and commercial if we analyze from another point of view. This act has similar value to a material good, so for our next every kind of charity is important, not only the donation of material goods, but also a good word friend. After all, if many of us fail to do charity sometimes because of lack of material goods, good advice we can all give, because we would only spend our time and however ignorant a human being may be, at least he has acquired general knowledge In their life experience.

This kind of advice alone may be enough to save a life or even change it for the better.


Celso Rodrigo Branicio



Note: Series Series of themes of the Evangelical Spiritist Alliance - Item 6
Gospel Apprentices Course and Intimate Reformation that I participated from 2002 to 2004 in Barretos-SP
Text produced in 2003
Image Source: Mediunidade na pratica
Also Posted on 6/14/2011 in Blog: Caos Filosófico 




Tags: Filosofia, Psicologia, Religião, Reforma Íntima, Aliança, Aliança Espírita Evangélica, Edgard Armond, Aprendizes do Evangelho, Escola de Aprendizes do Evangelho, Centro Espírita Aprendizes do Evangelho de Barretos, Temas, Caderno de Temas, Barretos, Celso Rodrigo Branicio, Branicio, Espiritismo, Kardecismo, Ecumênico, Pensamento, Pensamento Positivo, Neurolinguística, Literatura, Textos, Bem Estar, Auto Ajuda, Otimistas, Otimismo, Pessimistas, Pessimismo, Auto Estima, Caridade, Deus, Jesus, Cristo, Cristianismo, Cristão, Ajudar o Próximo, Poder da Mente, Paz, Paz Interior, Alegria, Felicidade, Orgulho, Vaidade, Egoísmo, Fé, Sofrimento, Arrependimento, Espírito, Alma, Perispírito, Mau, Bem, Maldade, Humor, Bom Humor, Mal Humor, Educação, Português, Virtudes, Defeitos, Verdade, Mentira, Redenção, Liberdade, Queda, Realização Espiritual, Evolução Espiritual, Corpo, Templo do Espírito, Corpo Templo do Espírito, Mundo Material, Humilhação, Penitência, Aprendiz, Fraternidade, Fraternidade dos Discípulos de Jesus, Ressentimento, Inveja, Ciúme, Avareza, Ódio, Remorso, Vingança, Agressividade, Personalismo, Maledicência, Intolerância, Impaciência, Negligência, Ociosidade, Ódio, Humildade, Modéstia, Sobriedade, Resignação, Sensatez, Piedade, Generosidade, Beneficência, Afabilidade, Doçura, Compreensão, Tolerância, Perdão, Brandura, Pacificação, Companheirismo, Renúncia, Indulgência, Misericórdia, Paciência, Mansuetude, Vigilância, Abnegação, Dedicação, Devotamento, Amor, Lei do Amor.


Assista na íntegra a "Os Pingos nos Is" desta segunda-feira (23/05/2016) com Reinaldo Azevedo da Rádio Jovem Pan


Transmitido ao vivo em 23 de mai de 2016
Confira a edição completa do programa de segunda-feira (23/05) com Patrick Santos, Victor LaRegina e a análise do comentarista político Reinaldo Azevedo.




Fonte: Vídeo do programa Os Pingo nos Is de Reinaldo Azevedo da Rádio Jovem Pan no Youtube - Canal do Os Pingos nos Is - Reinaldo Azevedo

https://youtu.be/kc2qBZDRIpU



Mendonça Filho vai processar PT por danos morais, calúnia e difamação

Mendonça Filho vai processar PT por danos morais, calúnia e difamação: O jornalista Jamildo Melo e equipe trazem informações exclusivas sobre política e economia no Estado de Pernambuco, no Nordeste e no Brasil

Publicado em 24/05/2016 às 15:24 por em Notícias
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
O atual ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), anunciou nesta terça-feira (24) que vai processar por danos morais, calúnia e difamação o Partido dos Trabalhadores, o professor de ciência política da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Michel Zaidan, o ex-vereador do Recife Dilson Peixoto (PT) e o site BR247.
A decisão foi após a nomeação de Maurício Romão para a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC, quando os alvos do pernambucano, segundo ele, divulgaram textos na internet afirmando que a indicação de Romão foi feita com o objetivo de privatizar o ensino superior, sob o influência de Janguiê Diniz, presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior e dono do grupo Ser Educacional, onde Romão trabalhava.
LEIA TAMBÉM
» Mauricio Romão será o secretario de Regulação e Supervisão da Educação Superior do ministério da Educação e Cultura
“Não me intimido com essa estratégia nem vou ser tutelado por táticas nazistas usadas pelo PT para destruir adversários. Falou mentira contra minha pessoa vai responder nas instâncias legais”, afirmou Mendonça Filho.
» Ministro Mendonça Filho diz que não vai alterar nenhuma política de cotas
» Com mais uma polêmica, Mendonça Filho recua e anuncia abertura de vagas no Fies até junho
» Governo suspende novas vagas do Pronatec e do Fies
O ministro afirmou que, com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), a rede privada foi ampliada. “Hoje 75% dos alunos no ensino superior do Brasil estudam em instituições particulares. Quando o PT está no governo, o discurso é de que essa expansão do ensino privado é para dar acesso ao filho do pobre à universidade. Quando somos nós, o PT muda o discurso, monta um tribunal de inquisição e diz que o Fies é para privatizar o ensino superior”, alfinetou.
Após ser envolvido em mais uma polêmica em pouco mais de uma semana à frente do ministério, com o anúncio de que não seriam abertas mais vagas para o Fies este ano, Mendonça Filho voltou atrás e divulgou uma nota em que afirma ter conseguido ampliar os recursos e que haverá inscrições até junho.
» Federais de Pernambuco já cobram mensalidades, mas têm dúvidas sobre projeto do MEC
» MEC deve apoiar cobrança de mensalidades se universidades públicas quiserem

Mendonça Filho ainda exaltou a formação de Maurício Romão como economista – ele é Ph.D. pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos. “Só o PT para achar que um profissional desse nível não pode ocupar esse cargo”, ironizou o ministro. O pernambucano frisou também que Romão deixou o cargo de professor na Uninassau, do grupo de Janguiê Diniz, em fevereiro.
» Governo Temer: vai e vem nos primeiros dias
» Temer edita MP que recria Ministério da Cultura
» Mendonça Filho culpa Dilma por dívida da Cultura e faz planos para 2017
» Teresa Leitão volta a cobrar ministro Mendonça Filho na Educação 


Dirceu pede ao STF perdão de pena em processo do mensalão

Dirceu pede ao STF perdão de pena em processo do mensalão: O jornalista Jamildo Melo e equipe trazem informações exclusivas sobre política e economia no Estado de Pernambuco, no Nordeste e no Brasil

Publicado em 24/05/2016 às 14:58 por em Notícias
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
Agência Brasil – A defesa do ex-ministro José Dirceu enviou ontem (23) ao Supremo Tribunal Federal (STF) um novo pedido para que seja perdoado o restante da pena que o ex-ministro cumpre pelo julgamento da Ação Penal 470, o mensalão. Nesse processo, Dirceu foi condenado a sete anos e 11 meses de reclusão.
Em fevereiro, a defesa fez o mesmo pedido, mas o relator da ação, ministro Luís Roberto Barroso, negou o perdão. Na ocasião, o ministro entendeu que Dirceu deveria esperar a conclusão do processo no qual é investigado na Operação Lava Jato para fazer um novo pedido. No último dia 18, José Dirceu foi condenado a 23 anos de prisão pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato. A sentença foi dada na Operação Pixuleco, 17ª fase da Lava Jato. Com a decisão de Moro, a defesa fez então o novo pedido.
LEIA TAMBÉM
» Seis dias após ser condenado, Dirceu é citado em nova fase da Lava Jato
» Juiz Sérgio Moro condena José Dirceu a 23 anos de prisão na Lava Jato
No documento entregue ontem ao STF a defesa de Dirceu lembra que anteriormente o Ministério Público Federal (MPF) sustentava que mesmo após a condenação na AP 470, Dirceu teria continuado a cometer práticas criminosas que estavam sendo investigadas pela Operação Lava Jato e que, por isso, foi preciso aguardar a decisão de Moro.
“Naquele momento, portanto, a concessão ou não do indulto dependia da análise, pelo magistrado da 13ª Vara Federal da Subseção de Curitiba, da procedência dos crimes imputados ao peticionário [Dirceu], os quais caracterizariam, em tese, falta disciplinar de natureza grave, pois, segundo a acusação, teriam sido praticados em data posterior ao trânsito em julgado da sentença proferida na Ação Penal 470 e durante o cumprimento da pena”, diz o texto da defesa.
Os advogados dizem, porém, que a decisão proferida por Moro no último dia 18 não confirma a alegação do MPF. “Não obstante, referida condenação diz respeito a fatos supostamente praticados em datas anteriores ao trânsito em julgado da sentença proferida na Ação Penal 470 e ao cumprimento da pena. Com efeito, muito embora o Ministério Público Federal tenha afirmado, tanto na denúncia quanto nos memoriais, que a suposta prática delituosa teria se estendido até 23/12/2014, o magistrado reconheceu, no decreto condenatório, que os registros de recebimentos indevidos teriam ocorrido até 13/11/2013”, diz o pedido.
» José Dirceu tem registro de advogado cancelado
» Dirceu recorre no STF de decisão que negou a ele perdão de pena no mensalão

Assim, para a defesa, está “categoricamente” comprovado que Dirceu não praticou qualquer falta disciplinar de natureza grave durante todo o período em que cumpriu a pena imposta na Ação Penal 470, “não havendo, portanto, a causa de impedimento da concessão do indulto”. A defesa alega então que Dirceu preenche os requisitos necessários para a concessão do indulto conforme decreto anual da Presidência da República.
O decreto foi publicado no Diário Oficial da União do dia 24 de dezembro do ano passado. O indulto é concedido com base em manifestação do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, acolhida pelo ministro da Justiça, e considerando a tradição por ocasião das festividades do Natal. O pedido será analisado pelo ministro Barroso.
LAVA JATO – Nesta terça (24), Dirceu voltou a ser alvo da Operação Lava Jato. Em entrevista coletiva para detalhar a 30ª fase da operação, o procurador da República Roberson Pozzobon, um dos integrantes da força-tarefa da Lava Jato, afirmou que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e seu irmão Luiz Eduardo de Oliveira receberam R$ 1,7 milhão em propina. Esta fase investiga desvios de mais de R$ 40 milhões em propina por meio de contratos fraudulentos entre a Petrobras e duas empresas fornecedoras de tubos que superam R$ 5 bilhões.

POSTAGEM DE DESTAQUE

UnBHoje - 6 a 12 de novembro de 2020 (Universidade de Brasília)

  06 A 12 DE NOVEMBRO 2020 ANO 35 Nº 6212 ...