Bem-vindo ao Blog Celso Branicio -

Pesquisar dentro deste blog

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Justiça afasta alegação de “sonolência” e determina pagamento de indenização a eletricista atingido por descarga elétrica

30 de julho de 2014

A Justiça do Trabalho decidiu que uma empresa agropecuária de Marechal Cândido Rondon, no Oeste do Paraná, terá de indenizar um eletricista que sofreu queimaduras graves ao receber uma descarga elétrica quando fazia medição de um disjuntor. Os desembargadores da 2ª Turma do TRT-PR refutaram o argumento de que o trabalhador teve culpa no acidente por supostamente “estar sonolento” ao executar a tarefa.

O acidente aconteceu em dezembro de 2008, quando o eletricista trabalhava na Cooperativa Agroindustrial COPAGRIL. O empregado, que não utilizava roupas anti-chamas, teve queimaduras de primeiro, segundo e terceiro graus. Ele ajuizou ação na Justiça do Trabalho pedindo indenização por danos morais, materiais e estéticos.

Uma perícia indicou que uma chapa metálica prendia o disjuntor à parede, o que seria a provável causa do curto-circuito. Ainda assim, a cooperativa argumentou que o trabalhador não havia dormido o suficiente na noite anterior ao acidente, executando o serviço de forma desatenta.

A decisão de primeiro grau atribuiu responsabilidade pelo ocorrido tanto ao empregado quanto à cooperativa. No entanto, ao analisarem o recurso do trabalhador, os desembargadores da 2ª Turma afastaram a tese de culpa do eletricista. Segundo o artigo 927, parágrafo único do Código Civil, “a obrigação de reparar o dano independe de culpa quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar, por sua natureza, risco para os direitos de outrem”. Foi observado, ainda, que não havia prova nos autos de que o trabalhador estivesse sonolento no momento em que ocorreu o acidente.

A sentença inicial foi reformada, para declarar a culpa exclusiva da empresa pelo acidente e aumentar o valor das indenizações. A condenação, que antes era de R$ 70.000,00 por danos morais e estéticos, subiu para R$ 100.000,00 pelos danos morais mais R$ 100.000,00 pelos danos estéticos.
 
Da decisão, cabe recurso.

Processo nº 01110-2012-668-09-00-5



Deficiente auditivo do Fujioka que sofria bullying vai receber R$ 10 mil de indenização

30 de julho de 2014

A Terceira Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (GO) manteve decisão de primeiro grau que condenou a empresa Fujioka Eletro Imagem S.A ao pagamento de indenização por danos morais em favor de deficiente auditivo que sofria assédio moral por parte de seus colegas de trabalho. Na inicial, o obreiro afirmou que passou a ser alvo de discriminação e assédio moral por meio de xingamentos e de agressões físicas, como tapas nas costas e chutes. Conforme depoimento de testemunha, que também tinha deficiência auditiva e trabalhava junto com o obreiro, ambos sofriam bullying diariamente. A testemunha afirmou que os colegas escreviam nas lentes provisórias que ele era gay e faziam “gracinhas” pelo fato de eles se comunicarem por gestos.

A testemunha também afirmou que ela e o obreiro relataram essa situação por várias vezes ao superior hierárquico do setor, tendo inclusive redigido uma carta direcionada ao superior. A empresa, entretanto, em recurso ao Tribunal, sustentou que não cometeu nenhum ato ilícito capaz de causar o dano alegado e que o juiz havia levado em consideração na decisão apenas o depoimento da testemunha apresentada pelo obreiro, desconsiderando as alegações do preposto da empresa.

O relator do processo, desembargador Elvecio Moura dos Santos, analisando o caso, considerou que o juiz de origem examinou a questão de forma acurada. Assim, por considerar presentes os pressupostos que ensejam o dever de reparação, a Terceira Turma manteve a condenação, diminuindo, entretanto, o valor da indenização que antes era R$ 30 mil para R$ 10 mil. Também foi reconhecida a rescisão indireta do contrato de trabalho, por justa causa do empregador, com consequente condenação ao pagamento das verbas rescisórias devidas.

Processo – RO – 0002092-81.2012.5.18.0008



Trabalhador que provou com gravação telefônica inclusão em lista discriminatória será indenizado

28 de julho de 2014

Um mecânico soldador foi contratado por uma empresa de caldeiraria e serviços industriais para prestar serviços para uma grande empresa do ramo de cimento. No entanto, assim que chegou para trabalhar, teve seu acesso negado pela tomadora de serviços. Ele já tinha prestado serviços a essa empresa por meio da antiga empregadora e ajuizou uma reclamação trabalhista de acidente contra ambas. Em conversa telefônica com um representante da ex-empregadora, ficou sabendo que por essa razão seu nome havia sido incluído em uma lista de pessoas proibidas de trabalhar na empresa. A conhecida “lista negra”.

O caso chegou ao conhecimento do juiz Paulo Eduardo Queiroz Gonçalves, quando era titular da 1ª Vara do Trabalho de Passos, por meio da ação ajuizada pelo mecânico. Pela discriminação sofrida, o reclamante pediu o pagamento de indenizações por dano moral e material. E o magistrado deu toda razão ao trabalhador.

A tomadora dos serviços negou que tivesse impedido a entrada do reclamante em suas dependências. Afirmou que apenas pediu à empresa contratada que o substituísse por outro funcionário, uma atitude de cautela em virtude do acidente noticiado na primeira ação. A empresa alegou que a intenção era não agravar a doença do mecânico ou mesmo evitar outro acidente. Contudo, a versão não convenceu o julgador.

Na sentença, ele explicou que a capacidade para o trabalho é medida pelo exame médico admissional. No caso, não foi encontrado nenhum indício de que o reclamante tenha sido considerado inapto para o exercício das funções para as quais foi contratado. O julgador observou que a ré nem ao menos requereu à empresa contratada documentação que respaldasse suspeita de eventual falta de capacidade para o trabalho. E apurou que nos autos da ação em trâmite na 2ª Vara do Trabalho não houve alegação de incapacidade para o trabalho do reclamante, senão temporária.

Como prova de sua versão da história, o mecânico apresentou mídia contendo diálogos entre ele e o representante da antiga empregadora, com a sua degravação. Na conversa, foi confirmado que ele foi barrado nas dependências da reclamada e a confissão do motivo. O magistrado considerou lícita a gravação de conversa telefônica sem conhecimento do outro interlocutor. “A prova obtida através de gravação da conversa por um dos interlocutores, com o fulcro de fazer prova a determinados fatos em juízo, desde que afastada causa legal de sigilo ou de reserva da conversação, não configura interceptação telefônica, despindo-se de qualquer vício de ilicitude, fazendo-se, assim, prosperar o princípio da verdade real”, registrou na sentença, destacando que este é o entendimento dos Tribunais.

Na avaliação do juiz, não há dúvidas de que a tomadora dos serviços impediu o acesso do reclamante às suas dependências em decorrência da ação trabalhista por ele ajuizada. Ele ressaltou que a inclusão em lista discriminatória extrapola os limites de sua atuação profissional, tratando-se de ofensa à dignidade da pessoa humana, que viola sua intimidade e contraria o artigo 5º, inciso X, da Constituição Federal. Além disso, atenta contra o direito constitucional de ação, previsto no artigo 5º, inciso XXXV, da CF/88.

Por esses motivos, ficou caracterizada a responsabilidade da reclamada decorrente de ato discriminatório praticado, gerador de dano moral indenizável. Com base em diversos critérios, inclusive o elevado poder econômico do grupo envolvido, o julgador condenou a ré ao pagamento de indenização por dano moral no valor de R$ 50 mil reais. Considerando que o reclamante foi privado de receber o salário contratado, condenou a ré também ao pagamento de R$3.334,10 por dano material.

O TRT de Minas confirmou a decisão, apenas reduzindo o valor da indenização por dano moral para R$25 mil, por entender que a importância atende melhor ao caráter educativo da medida.

( 0000685-65.2012.5.03.0070 RO  )
Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região

7 dicas para criar uma senha segura

30 de julho de 2014

Senhas devem ter no mínimo oito caracteres Ter uma senha forte exige mais do que criatividade. De acordo com a McAfee, empresa de segurança, 90% das senhas são consideradas vulneráveis.

Por isso, na hora de criar uma nova senha, é preciso deixar as antigas para trás, pois elas já podem estar nas mãos dos cibercriminosos. Além disso, alerta a PSafe, outra companhia do setor, os hackers estão muito sofisticados, capazes de quebrar uma senha em poucos minutos, usando programas de quebra de senha que testam milhões de combinações possíveis a cada segundo.


Confira abaixo sete dicas de como ter uma senha forte e segura:

1. Use uma senha diferente para cada site, conta de e-mail e plataforma social que você visite regularmente.

 2. Altere todas as senhas pelo menos a cada 90 dias.

 3. Evite o uso de palavras muito comuns. Elas são alvos fáceis para programas de quebra de senha. Também evite o uso de palavras e números que são facilmente associadas com você, como as datas de nascimento de si mesmo e da família, nomes de animais de estimação, nomes de ruas e números de endereço etc.
Palavras altamente significativas, como “Deus”, “Jesus”, “dinheiro”, “amor” e “password” também não são uma boa opção. Além disso, evite os nomes de celebridades e marcas populares, como “IPassword”.

 4. Crie senhas que tenham pelo menos 8 caracteres. Inclua uma mistura de letras maiúsculas e minúsculas, símbolos, como ^} ou números. Se você quiser estar realmente seguro, crie uma senha que tenha entre 14 ou mais caracteres. Estas são muito mais difíceis de quebrar do que senhas que usam menos caracteres.

5. Considere o uso de frases secretas ao invés de senhas. Estas são frases como uma letra de canção, uma linha de poesia ou um ditado. Elas são difíceis de quebrar, mas fáceis de lembrar.

 6. Nunca escreva suas senhas em um papel e guarde perto do computador. Além disso, não crie um documento digital de todas as suas senhas e armazene-o em seu desktop ou disco rígido interno do seu computador.
Em vez disso, escreva-os em um documento que é então armazenado em um pen drive USB separado ou disco externo. Mantenha esta unidade externa em um local seguro, longe do computador.

 7. Sempre que um site oferecer, inscreva-se para a verificação em duas etapas. Daí em diante, uma vez que você digitar a sua senha, o serviço em questão irá enviar automaticamente um código ou algo do tipo que verifica sua identidade.



 

Juiz mantém justa causa de trabalhador que registrou o ponto de outro empregado

31 de julho de 2014

A justa causa, por ser a penalidade mais severa aplicável ao empregado, deve ser claramente comprovada. Não pode haver dúvida quanto à falta cometida, que deve ser grave o bastante para romper, definitivamente, a confiança entre as partes, tornando inviável a continuidade do vínculo de emprego. Foi justamente essa a situação constatada pelo juiz titular da 2ª VT de Contagem, Erdman Ferreira da Cunha. Ele decidiu manter a justa causa aplicada ao empregado que registrou o ponto de outro empregado, o que foi considerado falta grave.

O julgador afastou as alegações do empregado de que a reclamada teria agido com rigor excessivo: “No caso, verifica-se que a conduta do reclamante é grave, capaz de trazer sérios prejuízos à reclamada, não só de ordem financeira como também de relevância social. Isto porque a empresa pode remunerar um empregado sem que ele, efetivamente, esteja trabalhando ou, ainda, o registro indevido pode servir, inclusive, em hipóteses mais extremas para comprovar a presença quando ela não existiu.”

Ainda segundo os esclarecimentos do magistrado, não houve inobservância na gradação de penas. Ele entendeu ser irrelevante que o reclamante não tenha sido punido com advertência ou suspensão anteriores, diante da gravidade da falta cometida, que, como registrou na sentença, “comporta a aplicação da pena máxima imediatamente”.

Diante disso, julgou improcedente o pedido de reversão da justa causa para dispensa imotivada de iniciativa da empregadora, com o pagamento das verbas trabalhistas decorrentes. Houve recurso, mas o TRT-MG manteve a decisão.



Empregado com deficiência é reintegrado por empresa que descumpriu cota legal

31 de julho de 2014

A Oitava Turma do Tribunal Superior do Trabalho determinou a reintegração de um trabalhador que conseguiu provar que, ao ser demitido, sua empregadora desrespeitou a cota mínima prevista em lei para preenchimento de cargos com deficientes físicos ou reabilitados. O percentual está previsto no artigo 93 da Lei 8.213/1991 (Lei da Previdência Social)

O trabalhador foi contratado pela Tupy S.A. como técnico, na cota de deficientes. Ao informar aos superiores que dera entrada no pedido de aposentadoria, acabou demitido sem justa causa. Alegou que houve desrespeito à condição imposta no artigo 93, parágrafo 1º, da Lei 8.213/1991 porque, ao dispensá-lo, a empresa não respeitou o percentual mínimo de deficientes nem contratou, no mesmo momento, deficiente para substitui-lo, tornando sua dispensa ilegal. A empresa defendeu a validade da dispensa e afirmou que observou a legislação, pois  contratou deficiente auditivo para a substituição.

A 3ª Vara do Trabalho de Joinville (SC) levou em conta laudo médico que provou que o segundo contratado tinha necessidades especiais e rejeitou o pedido de reintegração. O Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (SC) manteve a sentença por entender que, apesar de a empresa ter contratado o substituto um mês após a dispensa, a admissão teria cumprido a finalidade social prevista na lei.

Para a Oitava Turma do TST, porém, se a empresa não cumpre o percentual mínimo previsto na lei, não há como saber se a contratação de outro trabalhador com deficiência foi motivada pela cota legal ou pela dispensa de alguém nestas mesmas condições.

Como a Tupy não se desincumbiu do ônus de provar a contratação de trabalhadores em cumprimento à cota legal, o relator da matéria, ministro Márcio Eurico Vitral Amaro, deu provimento ao recurso do empregado e deferiu a reintegração, com pagamento dos salários relativos ao período de afastamento. A empresa opôs

(Fernanda Loureiro/CF)


Processo: RR-4919-70.2012.5.12.0028




Igreja Universal é condenada a pagar mais de meio milhão reais em danos morais na Justiça do Trabalho

31 de julho de 2014

A Justiça do Trabalho condenou a Igreja Universal do Reino de Deus ao pagamento de danos morais no valor de R$ 555 mil, além de anotações na carteira de trabalho e pagamento de verbas trabalhistas ao vigilante João Pereira de Aguiar, que trabalhou por mais de 8 anos sem os devidos registros. A decisão é da 2ª Vara do Trabalho de Porto Velho, publicada na terça-feira dia 15 de julho.

Depois de trabalhar por cerca de 8 anos para a reclamada, sem que houvesse o registro em carteira, nem pagas as férias e 13ª Salários de alguns anos, o vigilante recorreu à Justiça para ver seus direitos reconhecidos.

Além dos danos morais, a Igreja Universal do Reino de Deus ainda foi condenada a pagar  férias integrais do período aquisitivo de 2008/2009, de 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 com o terço constitucional, em dobro; férias proporcionais de 2013 ( 9/12) e terço constitucional; 13º salários de 2009, 2010, 2011, 2012; 13º proporcional de 2013; Aviso Prévio indenizado; FGTS + multa de 40%; descanso semanal remunerado do período não prescrito; multas dos artigos 467 e 477 da CLT e adicional noturno por todo o contrato de trabalho, com os reflexos em aviso prévio, férias e terço legal, 13º, DSR, FGTS e multa de 40%.

A sentença declara que referente ao pacto laboral, o início da prestação de serviços e que deverá ser anotada foi em 01.08.2005 e demissão em 30.09.2013, por não ter a reclamada impugnado esta data e ter o preposto confessado em depoimento pessoal não saber a data da prestação dos serviços. Em relação à função exercida pelo trabalho, é de vigilante.

O juiz do trabalho substituto Carlos Antônio Chagas Junior, que responde pela titularidade da 2ª Vara do Trabalho de Porto Velho, condenou a reclamada, ainda, ao pagamento de custas processuais no importe de R$12.551,81, calculadas sobre o valor provisório arbitrado em R$ 627.590,82.


Danos Morais

Em audiência o reclamante alegou que a Reclamada sempre explorou a mão de obra de policiais militares e outros agentes públicos para se esquivar de pagar encargos previdenciários e tributários. O autor da reclamação, na necessidade de aumentar a renda para garantir o bem estar de sua família acabou tendo que submeter a exploração da reclamada, não recebendo nada além das diárias pelos plantões, sem receber durante todo o contrato de trabalho suas férias, 13º salário e sequer ter os intervalos para descanso e folgas respeitadas. Alega ainda que teria trabalhado sempre sofrendo a subordinação rígida e controladora da reclamada, que lhe impunha penalidades caso não cumprisse com os plantões na hora desejada. No entanto, na hora da rescisão do contrato de trabalho, não recebeu nenhum valor além dos plantões que realizou no ultimo mês, deixando o Reclamante totalmente desamparado. Afirma que por tais motivos, requer a condenação da reclamada em danos morais, conclui a sentença.


Fraude Trabalhista

Embora o representante da igreja – reclamada tenha contestado o pedido afirmando que o mero descumprimento dos direitos trabalhistas não são passíveis de gerar dano moral, bem como não teria cometido qualquer conduta ilícita vez que o reclamante não era empregado, o magistrado considerou em sua decisão que “o mero descumprimento de obrigação trabalhista não é passível de gerar dano moral, contudo fato diverso ocorre no presente caso. Acima foi reconhecida a fraude na contratação trabalhista e restou caracterizado o vínculo empregatício”.

A relação contratual deu-se por 8 anos, sem que o trabalhador tivesse direito a qualquer proteção trabalhista, configurando a conduta da reclamada em verdadeira afronta à dignidade do trabalhador, que não pode gozar de descansos, remunerados, férias e outras questões trabalhistas equiparando a situação do obreiro à análoga a de escravo, ainda que sem a limitação do direito de ir e vir, que configuraria o ilícito penal. Assim praticou a reclamada ato ilícito ao não reconhecer o vínculo empregatício.”

A reclamada deverá cumprir espontaneamente a decisão no prazo de 10 dias, do trânsito em julgado da ação, independentemente de intimação, sob pena de multa de 10% sobre o valor da condenação, registra o juiz.

Para efeito de comprovação das contribuições previdenciárias decorrentes decisão e exibição da respectiva GFIP a reclamada tem o prazo de 30 dias do trânsito em julgado, sob pena de multa diária de R$100,00, até o efetivo cumprimento da obrigação, a ser revertida em favor de entidade beneficente.  A decisão da 2ª Vara do Trabalho de Porto Velho é passível de recurso.

Processo nº 0010070-70.2014.5.14.0002




Supermercado Bompreço terá que indenizar funcionário obrigado a imitar macaco

31 de julho de 2014

O supermercado Bompreço terá que pagar indenização de R$ 50 mil a um ex-funcionário obrigado a imitar macaco, dançar e rebolar na frente dos colegas de trabalho. Os desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará consideraram que a empresa assediou o funcionário e deveria ser punida pelo dano moral provocado. A decisão reduz o valor determinado anteriormente pela 3ª vara do Cariri, que era de R$ 160 mil.

De acordo com uma testemunha que também trabalhou para a rede de supermercados na Região do Cariri, sempre que empregados se atrasavam para as reuniões diárias eram obrigados a “pagar osso”, ou seja, dançar, rebolar e imitar macaco.

Na primeira instância, o juiz do trabalho Carlos Leonardo Carneiro já havia destacado que, por sua repetição, a humilhação caracterizava-se como prática de assédio. “A exposição de seus empregados ao ridículo não se encontra dentre as permissões outorgadas pela legislação aos empregadores”, lembrou.
Além da humilhação, a Justiça do Trabalho também considerou na condenação o fato de a empresa ter perseguido o funcionário após ele depor em outro processo trabalhista movido contra a empresa. E-mails apresentados como prova demonstravam que esse teria sido um dos motivos de sua demissão.
Da decisão, cabe recurso.


Processo relacionado 0010271-83.2013.5.07.0037





Consumidor tem até sete dias para desistir de seguro adquirido em lojas

31 de julho de 2014

O consumidor que adquirir um tipo de seguro ou contratar a garantia estendida ao comprar produtos em lojas do varejo vai poder desistir do negócio em até sete dias

A regra faz parte da regulamentação aprovada em 2013 pelo CNSP (Conselho Nacional de Seguros Privados) e que entrou em vigor no dia 18 de junho em todo o país.

Pelas normas da Susep (Superintendência de Seguros Privados), podem ser ofertadas, entre outras, coberturas para riscos diversos, funeral, viagem e desemprego ou perda de emprego, além de microsseguros -como os de previdência e os que cobrem danos residenciais. As novas regras tentam barrar irregularidades na venda de seguros no varejo.

Em abril, o DPDC (Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor), ligado ao Ministério da Justiça, abriu processos contra quatro grandes redes varejistas por venda casada de seguros disfarçados de garantia estendida.

A venda casada ocorre quando a loja vincula a compra de um bem ou utilização de serviços à aquisição de outro produto. A prática é proibida também para seguros.

Pelas normas, a multa ao estabelecimento que condicionar a venda ou desconto de um produto ou serviço à contratação de planos de seguro varia de R$ 10 mil a R$ 500 mil. O Procon pode tirar dúvidas e receber denúncias de consumidores.

Roberto Westenberger, superintendente da Susep, lembra que a loja deve fornecer ao segurado o contrato físico: apólice ou bilhete de seguro.

A entidade determina, ainda, que o comerciante deve expor “em local de ampla visibilidade” informações sobre os direitos do cliente.

Para Luiz Ricardo Souza Pinto, advogado do consumidor, a oferta de seguros no varejo representa um serviço a mais. Ele lembra que o ramo de seguros cresce no Brasil, estimulado pelo consumidor que aumentou o poder aquisitivo e agora se preocupa em preservar o patrimônio. O varejo, porém, deve se adequar aos produtos e o cliente deve evitar contratar o seguro “por embalo”, aproveitando aquela ida ao comércio para comprar uma TV e sair da loja com uma apólice. “O agente de seguro deve ter treinamento específico, para que a apólice não seja tratada pelo vendedor como mero produto de prateleira”, diz.





Academia Barretense de Cultura realiza Concurso Nacional de Contos (O Diário de Barretos Online)

Adalgisa e Merenda deram entrevista na Rádio Independente AM - Tininho Júnior
Adalgisa e Merenda deram entrevista na Rádio Independente AM
Tininho Júnior


Inscrições podem ser feitas de 1º de agosto até 30 de novembro

O presidente da Academia Barretense de Cultura – ABC, José Antônio Merenda, informou que as inscrições para o XVI Concurso Nacional de Contos “Prêmio Jorge Andrade” começam no dia 1º de agosto e seguem até 30 de novembro, depois dessa data os acadêmicos começam o trabalho de escolha dos vencedores. “A nossa comissão, formada por sete pessoas da Academia Barretense de Cultura, vai analisar esses contos e até dia 28 de fevereiro de 2015 dará o resultado”, garantiu Merenda.

A coordenadora do concurso, Adalgisa Aparecida Borsato Gonçalves da Cruz, explicou que como o concurso é nacional as surpresas durante o trabalho de avaliação são grandes. “O Brasil é muito grande, então são diversas pessoas que participam e cada um tem um jeito, as regiões realmente têm certa diferença naquilo que eles escrevem, nos sentimentos, no local onde moram, então é sempre muito bonito participar e ler todos esses contos”, ressalta Adalgisa. A premiação dos contos está previstaa para abril de 2015 e o link para o edital do concurso já está disponível na página do Facebook da ABC. O conto é uma narrativa ficcional curta, de viés literário, com concentração de espaço, tempo e personagem.


30/07/2014 | Cidade / Cidade 





Prefeitura consegue suspender demissões de assessores, com exceção dos 10 já demitidos (Jornal de Barretos Regional)


A Prefeitura de Barretos conseguiu na tarde de ontem um efeito suspensivo da liminar que determinava a exoneração de todos os assessores nomeados pela atual administração.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, o efeito suspensivo da liminar foi concedido pelo Tribunal de Justiça, em São Paulo. A administração alegou, no agravo de instrumento, que não criou e nem alterou a nomenclatura dos cargos, e que apenas fez as nomeações para os cargos, necessárias para o bom andamento dos trabalhos nas secretarias municipais.

No processo, é pedido ainda que em caso do prefeito ser responsabilizado pelas contratações, que o ex-prefeito Emanoel Carvalho seja responsabilizado, já que foi ele quem determinou a alteração da nomenclatura dos cargos.

Segundo a Prefeitura, a suspensão da liminar não beneficia os dez assessores que já foram exonerados.


Prefeitura consegue suspender demissões de assessores, com exceção dos 10 já demitidos (Jornal de Barretos Regional)

Fonte: Jornal de Barretos Regional
Seção: Notícias - Barretos e Região - 30/07/2014
Título Original: "Prefeitura consegue suspender demissões de assessores"
http://www.jornaldebarretos.com.br/noticia/7579/prefeitura-consegue-suspender-demissoes-de-assessores



terça-feira, 29 de julho de 2014

CÂMARA MUNICIPAL DE BARRETOS ABRE CONCURSO PÚBLICO COM SALÁRIOS DE R$ 1.475,62 ATÉ R$ 2.642,49

 
Fonte: Folha de Barretos

Folha de Barretos - Barretos, 26 de Julho de 2014 - Páginas 1 a 8


SÃO SETE CARGOS COM UMA VAGA EM CADA.




Folha de Barretos - Barretos, 26 de Julho de 2014 - Páginas 1 a 8

PODER LEGISLATIVO

CÂMARA MUNICIPAL DE BARRETOS



EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº: 001/2014



Inscrições das 08h do dia 28 de julho de 2014 até as 22h do dia 15 de agosto de 2014 no site da empresa:

PERSONA CAPACITAÇÃO ASSESSORIA E CONSULTORIA – EIRELI


Gols e Melhores Momentos de Barretos 4 x 0 Guarujá - Campeonato Paulista da Segunda Divisão 25/07/2014




Publicado em 28/07/2014

 
Gols e Melhores Momentos de Barretos 4 x 0 Guarujá - Campeonato Paulista da Segunda Divisão 25/07/2014



FICHA TÉCNICA

BARRETOS 4x0 GUARUJÁ

BARRETOS
Willian; Babi, Rafael Avaré e Tayson; Rafael Jales, Felipe Merlon, Júlio Brasília (Deco), Moretto (Iguinho) e Felipe Assolan; Luiz Ricardo (Thiago) e Ray.
Técnico: Pinho

GUARUJÁ
Diego; Douglas Macedo, Daniel Miranda, Barroso e Alexe; Rodrigo (Café), Tomas, Maurício e Edmilson; Buiu (Alex) e Cardoso (Mateus).
Técnico: Jorge Luiz Fernandes.

GOLS: Tayson, aos 29 e Ray, aos 38 minutos do primeiro tempo. Ray, aos 6 e Felipe Assolan, aos 32 minutos do segundo tempo (Barretos)
ÁRBITRO: Luiz Carlos Ramos Júnior
ASSISTENTES: Edson Rodrigues dos Santos e Leandra Aires Cossetti
CARTÕES AMARELOS: Ray e Rafael Avaré (Barretos); Rodrigo(Guarujá)
LOCAL: Estádio: Antonio Gomes Martins, Fortaleza, em Barretos.



DADOS DO VÍDEO:

Fonte: Vídeo da TVB - TV Barretos no Youtube - Canal da TVBARRETOS TVB

Título Original: "Barretos x Guarujá"





Barretos 4 x 0 Guarujá - BEC goleia e assume ponta do Grupo 10

Os gols foram assinalados por Ray, duas vezes, Taison e Assolan

Publicado em .
Barretos, SP, 26 (AFI) - Na abertura da segunda rodada da segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, pelo Grupo 10, o Barretos não tomou conhecimento do adversário e goleou a equipe do Guarujá, pelo placar de 4 a 0. O confronto, aconteceu nesta sexta-feira, a noite, em Barretos, no Fortaleza. Os gols foram assinalados por Ray, duas vezes, Taison e Assolan. Com o triunfo, o Touro do Valle, assumiu a liderança do grupo com seis pontos ganhos. Neste domingo, Guariba, recebe o Manthiqueira, fechando a segunda rodada.

GOLEADA
A goleada imposta pelo BEC, ficou barato para o Guarujá. O primeiro tempo terminou com a vitória do quadro comandado por Pinho, por 2 a 0.

O Touro do Vale desde o início da partida foi para cima da equipe adversário e após desperdiçar algumas chances, chegou ao primeiro gol com o zagueiro Tyson, que concluiu dentro da pequena área para as redes do gol da equipe visitante.
Logo após ainda no primeiro tempo, o BEC chegou ao segundo gol, com o atacante Ray, que aproveitou o rebote do goleiro Diego, após forte chute do meia Júlio Brasília e concluiu para o fundo da redes.

Na segunda etapa, o Guarujá voltou com uma postura mais ofensiva, mas parou novamente na forte marcação do setor defensivo do Barretos Esporte Clube, e no contra ataque, o atacante Ray novamente demostrando oportunismo fez o segundo gol barretense após aproveitar oportunismo em jogada de ataque do barretense, escorando cruzamento da esquerda.
O Guarujá não desistiu e continuou tentando chegar ao seu primeiro gol, encurralando a equipe barretense, mas não aproveitou as chances criadas. E novamente em contra ataque a equipe barretense demonstrou rapidez e, em jogada do jovem atacante Tiago, o lateral Assolan recebeu a bola e fez o quarto gol barretense na saída do goleiro Diego.

PRÓXIMOS JOGOS
No encerramento do primeiro turno da segunda fase, o Barretos, joga novamente perante a sua torcida na próxima sexta-feira, ás 20 horas contra o Guariba. Já o Guarujá, vai receber no próximo domingo, ás 10 horas, a representação do Manthiqueira.

FICHA TÉCNICA
BARRETOS 4x0 GUARUJÁ

BARRETOS
Willian; Babi, Rafael Avaré e Tayson; Rafael Jales, Felipe Merlon, Júlio Brasília (Deco), Moretto (Iguinho) e Felipe Assolan; Luiz Ricardo (Thiago) e Ray.
Técnico: Pinho

GUARUJÁ
Diego; Douglas Macedo, Daniel Miranda, Barroso e Alexe; Rodrigo (Café), Tomas, Maurício e Edmilson; Buiu (Alex) e Cardoso (Mateus).
Técnico: Jorge Luiz Fernandes.

GOLS: Tayson, aos 29 e Ray, aos 38 minutos do primeiro tempo. Ray, aos 6 e Felipe Assolan, aos 32 minutos do segundo tempo (Barretos)
ÁRBITRO: Luiz Carlos Ramos Júnior
ASSISTENTES: Edson Rodrigues dos Santos e Leandra Aires Cossetti
CARTÕES AMARELOS: Ray e Rafael Avaré (Barretos); Rodrigo(Guarujá)
LOCAL: Estádio: Antonio Gomes Martins, Fortaleza, em Barretos.




Top Sertanejo 2014



Publicado em 12/06/2014
 
"Não Se esqueça De Deixar O Joinha, Favoritar, Compartilhar E Se Inscreva-se No Canal Para Ajudar Na Divulgação!"


 
Play List :
 
Eduardo Costa - Os 10 Mandamentos Do Amor

Fernando e Sorocaba - Gaveta

Gusttavo Lima - Tô Solto Na Night

Henrique e Juliano - Recaídas

Humberto e Ronaldo - Alô DJ

Jorge e Mateus - Calma

João Bosco e Vinicius - Sorte é Ter Você

Luan Santana - Cê Topa

Lucas Lucco - Mozão

Marcos e Belutti - Domingo de manhã

Michel Teló - Levemente Alterado (Part. Bruninho & Davi)

Munhoz e Mariano - Copo na mão

Pedro Henrique e Fernando Part. Munhoz e Mariano - Varinha Mágica

Thaeme e Thiago - Cafajeste

Victor e Leo - O tempo não apaga

 
Top Sertanejo 2014


Fonte: Vídeo no Youtube - Canal da Balada Sertaneja



Gols e Melhores Momentos de Goiás 2 x 1 São Paulo - Brasileirão 27/07/2014


FICHA TÉCNICA 

GOIÁS-GO 2x1 SÃO PAULO-SP

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia-GO
Data: 27 de julho de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves-RS e José Antônio Chaves Franco Filho-RS
Cartões amarelos: David e Érik (Goiás-GO); Ganso (São Paulo-SP)
Público: 12.847 pessoas
Renda: R$ 538.155,00
GOLS:
GOIÁS-GO : Amaral (aos 43’ do 1T) e Bruno Mineiro (aos 2’ do 2T)
SÃO PAULO-SP: Kaká (aos 30’ do 2T) 

GOIÁS-GO: Renan; Moisés, Jackson, Pedro Henrique e Lima; Amaral, Thiago Mendes, David e Ramón (Tiago Real); Érik (Valmir Lucas) e Bruno Mineiro (Welinton Júnior)
Técnico: Ricardo Drubscky 

SÃO PAULO-SP: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Tolói, Lucão (Maicon) e Álvaro Pereira; Rodrigo Caio, Souza (Osvaldo), Kaká e Ganso; Ademílson (Alexandre Pato) e Alan Kardec
Técnico: Muricy Ramalho




DADOS DO VÍDEO:
 
Publicado em 27/07/2014
 
Goiás 2 x 1 São Paulo 27/07/2014 Brasileirão
Goiás 2 x 1 São Paulo 27/07/2014 Campeonato Brasileiro
GOL DE KAKÁ Goiás x São Paulo 27/07/2014

Gols Goiás 2 x 1 São Paulo 27/07/2014 Brasileirão
Melhores Momentos Goiás 2 x 1 São Paulo 27/07/2014 Brasileirão
Gols e Melhores Momentos Goiás 2 x 1 São Paulo 27/07/2014 Brasileirão
Melhores Momentos Goiás 2 x 1 São Paulo 27/07/2014 Brasileirão
Gols e Melhores Momentos Goiás 2 x 1 São Paulo 27/07/2014 Brasileirão
Goiás x São Paulo 27/07/2014
Goiás 2 x 1 São Paulo
 
Gols e Melhores Momentos de Goiás 2 x 1 São Paulo - Brasileirão 27/07/2014

Fonte: Vídeo no Youtube - Canal do CopaBrazilTV 



Corinthians 2 x 0 Palmeiras - Melhores Momentos - Brasileirão 27/07/2014



FICHA TÉCNICA 

CORINTHIANS 2 X 0 PALMEIRAS

Local: estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 27 de julho de 2014, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (PE)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Público: 31.031 pagantes
Renda: R$ 2.206.184,00
Cartões amarelos: Guerrero (Corinthians); Henrique e Wendel (Palmeiras) 
Gols: Guerrero, aos cinco minutos do segundo tempo, e Petros, aos 45 minutos do segundo tempo 

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Elias, Petros e Renato Augusto (Danilo); Romero (Romarinho) e Guerrero (Luciano) 
Técnico: Mano Menezes 

PALMEIRAS: Fábio; Wendel, Tobio, Marcelo Oliveira e Victor Luís; Renato e Wesley; Mouche, Mendieta (Leandro) e Felipe Menezes; Henrique (Erik)
Técnico: Ricardo Gareca




DADOS DO VÍDEO:

Publicado em 27/07/2014
Corinthians 2 x 0 Palmeiras 27/07/2014 Brasileirão
Corinthians 2 x 0 Palmeiras 27/07/2014 Campeonato Brasileiro

Gols Corinthians 2 x 0 Palmeiras 27/07/2014 Brasileirão
Melhores Momentos Corinthians 2 x 0 Palmeiras 27/07/2014 Brasileirão
Gols e Melhores Momentos Corinthians 2 x 0 Palmeiras 27/07/2014 Brasileirão
Melhores Momentos Corinthians 2 x 0 Palmeiras 27/07/2014 Brasileirão
Gols e Melhores Momentos Corinthians 2 x 0 Palmeiras 27/07/2014 Brasileirão
Corinthians 2 x 0 Palmeiras 27/07/2014
Corinthians x Palmeiras 27/07/2014

A história mostra que o Palmeiras leva vantagem sobre o Corinthians em cinco dos outros 13 estádios aonde já foi disputado o dérbi paulista e que tem retrospecto favorável em apenas um, o Pacaembu. No geral, o Alviverde também tem saldo positivo com 125 vitórias contra 120 derrotas em 352 confrontos. Mas neste domingo, no primeiro clássico da Arena Corinthians, o dono da casa levou a melhor: 2 a 0, gols de Paolo Guerrero e Petros.




Fonte: Vídeo no Youtube - Canal do CopaBrazilTV
http://youtu.be/Pnmdv6kim5c


Pós-jogo Web Rádio Verdão - Corinthians 2 x 0 Palmeiras



Publicado em 27/07/2014
 

Pós-jogo Web Rádio Verdão - Corinthians 2 x 0 Palmeiras

Campeonato Brasileiro 2014


Pós-jogo Web Rádio Verdão - Corinthians 2 x 0 Palmeiras


Fonte: Vídeo no Youtube - Canal do webradioverdao

http://youtu.be/3eyLdfrbI_U



Padre Carlos convida para Festa do Padroeiro Bom Jesus (Jornal de Barretos Regional)

Padre Carlos convida para Festa do Padroeiro Bom Jesus (Jornal de Barretos Regional)
Padre André e Carlos durante missa

A Paróquia do Bom Jesus está convidando a população barretense a prestigiar o almoço que acontece no dia 3 de agosto, na Paróquia do Bom Jesus, tendo no cardápio queima do alho, ao preço de R$15,00. Na oportunidade também estará sendo servido macarronada, feijão gordo e saladas. 

Com relação a programação religiosa, o padre Carlos Barbosa, pároco da Igreja do Bom Jesus, informou que nos dias 3, 4 e 5 será realizado o tríduo na Paróquia, com missas na Igreja Matriz do Bom Jesus. 

Já nos dias 8, 9 e 10 de agosto, acontece a tradicional quermesse com várias atrações de comidas, bebidas e shows musicais em frente a Praça.


Seção: Notícias - Barretos e Região - 27/07/2014



Concursos públicos têm 2.152 vagas no Estado (Agora SP)


Havolene Valinhos
do Agora

Quem pretende ingressar na carreira pública tem, pelo menos, 2.152 oportunidades em concursos públicos nesta semana no Estado.

Até sexta-feira é possível se inscrever para o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. São 51 chances em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários oferecidos variam de R$ 1.666,49 a R$ 4.511,90, e as inscrições devem ser feitas em www.vunesp.com.br


Confira a lista completa de concursos

Na quinta-feira, terminam as inscrições para as 471 chances da Prefeitura de Campinas (93 km de SP) para diversas áreas. Os candidatos devem se cadastrar pelo site www.caipimes.com.br

No entanto, para os postos de médicos as inscrições podem ser feitas até 18 de agosto.

A Polícia Militar tem inscrições abertas até sexta-feira para 31 oportunidades, sendo dez para o posto inicial de 2º Tenente veterinário PM estagiário e 21 para 2º Tenente dentista PM estagiário.

Já a Prefeitura de Osasco (Grande SP) reabriu as inscrições, até o dia 7 de agosto, para o cargo de enfermeiro obstétrico. São 19 vagas no total. O salário inicial é de R$ 3.553,83. A inscrição custa R$ 60 e deve ser realizada em www.fgv.br/fgvprojetos

A Prefeitura de Campo Limpo Paulista (53 km de SP) tem 252 vagas para diversos níveis. Os candidatos devem se inscrever até 8 de agosto pelo site www.mouramelo.com.br

Os salários chegam a R$ 4.593. 

 
Concursos públicos têm 2.152 vagas no Estado (Agora SP)


Seção: Trabalho - 28/07/2014
 
 
 
 

POSTAGEM DE DESTAQUE

UnBHoje - 6 a 12 de novembro de 2020 (Universidade de Brasília)

  06 A 12 DE NOVEMBRO 2020 ANO 35 Nº 6212 ...